O ballet das medusas é beleza pura: Oceanário de Lisboa tem o vídeo de que precisamos para relaxar

São 26 minutos e 34 segundos, o título é apenas Vídeo Relaxante Medusas. E, porém, é como sonhar acordado. Para relaxar ou meditar, aconselha o Oceanário.

Fotogaleria
Medusas, Oceanário de Lisboa
Oceanário de Lisboa
Fotogaleria
Medusas, Oceanário de Lisboa
Fotogaleria
Medusas, Oceanário de Lisboa
Fotogaleria
Medusas, Oceanário de Lisboa
Oceanário de Lisboa
Fotogaleria
Medusas, Oceanário de Lisboa

São 26'34'’, o título é apenas “Vídeo Relaxante Medusas”. E, porém, é um sonho vivo. Por causa do surto do novo coronavírus, o Oceanário de Lisboa está fechado até mais ver, mas, claro, está cheio de vida, tanto in loco como online.

Uma das jóias da coroa da actividade do oceanário localizado no Parque das Nações, herança da Expo 98, é este vídeo. São 26 minutos e 34 segundos de paz, disponíveis para quem quiser relaxar a qualquer momento do dia, desligar-se da corrente do mundo por alguns momentos (ou horas, é para isso que existe o loop) ou, claro, ideal para admirar até adormecer. 

E a obra nem precisa de título criativo ou chamativo, é mesmo Vídeo Relaxante Medusas. Simples e eficaz:

“O aquário das medusas é um dos mais relaxantes da nossa exposição. Absorva os seus movimentos e aproveite este momento relaxante e de meditação” aconselha o Oceanário, que começou esta fase de vídeos zen com outra obra relaxante mas no Aquário Central​ (por aqui o nosso óscar vai para as medusas, mas atenção, este também merece um mergulho dos nossos olhos:)

Para actividades, digamos, mais activas, o oceanário tem várias sugestões online, no site, no Facebook ou Instagram e para toda a família com Férias Debaixo de Água versão casa.

O espaço fechou “em consequência da pandemia” declarada pela Organização Mundial de Saúde, “e como medida preventiva”. Todas as actividades educativas foram suspensas, tirando as sugestões acima e outras que poderão vir. “A data de reabertura e recomeço das suas actividades estão condicionados à evolução das circunstâncias”, informa o Oceanário.