Unsplash
Foto
Unsplash

PSuperior alarga-se a novos parceiros e a alunos de Artes, Letras, Ciências Sociais e Jornalismo

Número de parceiros associados ao PÚBLICO neste projecto de cidadania e literacia mediática passa para 12. E o universo potencial de estudantes contemplados sobe para 8 mil.

O projecto PSuperior vai crescer. A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, o programa Media Veritas e a Everis, uma empresa de consultoria, juntaram-se aos nove parceiros da primeira vaga (Google, Morais Leitão, Galvão Teles, Soares da Silva e Associados, Fidelidade, IPG Mediabrands, Unilever, Fuel, Mota-Engil, Porto Editora e Volkswagen) para alargar o universo de beneficiários do projecto — alunos finalistas ou em mestrado integrado do ensino superior público e privado do país.

Serão distribuídas mais 1800 assinaturas digitais do PÚBLICO e, desta vez, o projecto vai chegar aos estudantes das áreas artísticas, das ciências sociais e humanas e das letras. No programa da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa serão também contemplados alunos da Escola Superior de Saúde do Alcoitão.

O projecto PSuperior foi apresentado a 20 de Novembro numa cerimónia em que participou o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o ministro da Ciência e Ensino Superior, Manuel Heitor, e o presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, Fontainhas Fernandes. O seu propósito é promover a literacia mediática junto dos estudantes universitários e criar mecanismos de participação que estimulem os valores da cidadania e da pertença à comunidade.

Como referiu Marcelo Rebelo de Sousa, o PSuperior é uma iniciativa que “garante valores básicos como a qualidade da informação”, ou, como precisou o ministro Manuel Heitor, é um “esforço colectivo para trazer a sociedade civil para um projecto de educação para a cidadania e pela cidadania”.

Para tornar esta iniciativa possível, foi fundamental a criação de uma comunidade de mecenas que financiam as assinaturas. Cada empresa assume essa responsabilidade de facilitar o acesso de alunos de determinados cursos e de universidades escolhidos ao programa das assinaturas gratuitas.

Na primeira vaga do PSuperior, foi possível chegar a todas as universidades do continente e da Madeira, mas havia cursos que não tinham sido abrangidos. Em concordância com os parceiros originais, o PÚBLICO empenhou-se em superar esse constrangimento. E contou com a adesão da Santa Casa da Misericórdia, que financiará mil assinaturas, da Everis, com 500 assinaturas, e o Media Veritas, responsável por 300.

O programa ficará assim acessível a alunos finalistas ou em mestrado integrado dos cursos de Letras das universidades de Porto, Coimbra e Lisboa. A cursos de Engenharias não abrangidos na primeira fase do ISCTE, das universidades Autónoma, da Beira Interior, da Madeira, de Aveiro, Coimbra, Lisboa e Porto, da Europeia, Fernando Pessoa, Lusíada, Lusófona e Universidade Nova de Lisboa.

E o programa Media Veritas, gerido pela Associação Portuguesa de Imprensa, em parceria com a Google e financiado pela Fundação Tides, destinar-se-á a alunos de Jornalismo e Comunicação Social de diversas universidades — e do Instituto Superior Miguel Torga. Há, como referido, também assinaturas disponíveis para os estudantes da Escola Superior de Saúde de Alcoitão.

Para a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, o apoio ao PSuperior justifica-se com a constatação de que “o jornalismo é um dos bastiões das sociedades democráticas que, nestes tempos de importantes desafios, deve ser reforçado na sua missão de informar e formar as gerações mais jovens, dotando-as de conhecimento validado para que possam exercer o seu papel numa cidadania de pleno direito e em total consciência”.

A Everis considera que “saber interpretar a informação e desenvolver um sentido critico são condições fundamentais para se promover uma cidadania activa e construtiva”, principalmente neste momento, em que “a verdade e a qualidade da informação assumem ainda mais relevância”. Já a Associação Portuguesa de Imprensa explica a sua ligação ao projecto com a necessidade de “promover o desenvolvimento do pensamento crítico e do uso de fontes de informação credíveis” junto dos mais jovens e de “contribuir para uma sociedade mais livre, informada e democrática”.

Para lá do PSuperior, o PÚBLICO tem também activo o Público na Escola, um programa de literacia mediática destinado aos alunos do ensino secundário.

Sugerir correcção