Covid-19: lar de Vale de Cambra tem 39 utentes infectados e ainda faltam resultados

Os utentes infectados que residem no lar já foram, entretanto, separados dos restantes, estando essa comunidade de idosos agora distribuída pelos quatro edifícios da Fundação.

Velhice
Foto
PAULO PIMENTA

O lar da Fundação Luiz Bernardo de Almeida, em Vale de Cambra, que na sexta-feira registava um óbito e um infectado por covid-19, revelou nesta terça-feira ter actualmente 39 utentes com o novo coronavírus, aguardando ainda dezenas de resultados.

A informação surge dias depois da instituição do distrito de Aveiro ter dito à Lusa que, após a realização dos primeiros testes a idosos e funcionários a expensas da própria casa, as autoridades de saúde não estavam a disponibilizar exames para cerca de 80 utentes ainda não rastreados, entre os 120 seniores que habitam no lar.

“O delegado de saúde passou-nos a requisição para os testes, mas, como não há material disponível no mercado, quem nos resolveu o problema foi o [empresário local] Miguel Aguiar Soares. Apareceu-nos cá no sábado com material para 100 testes e, se não fosse ele, continuávamos com toda a gente por rastrear e a pensar inocentemente que só tínhamos meia dúzia de infectados”, afirmou hoje o director-geral da unidade de apoio social, José Carlos Coelho.

Para o director da Fundação Luiz Bernardo de Almeida, um dos aspectos mais graves da situação é que os testes têm permitido apurar “que há muita gente infectada sem apresentar absolutamente nenhum sintoma”, pelo que essas pessoas continuam a relacionar-se com terceiros ignorando que já deviam estar em tratamento e sob quarentena.

Os utentes infectados que residem no lar já foram, entretanto, separados dos restantes, estando essa comunidade de idosos agora distribuída pelos quatro edifícios da Fundação, de forma a assegurar “o mais isolamento possível” aos doentes.

Entre os 39 idosos contaminados incluem-se “uns oito que estão hospitalizados” e, desses, “alguns já podiam ter vindo para casa, mas ficaram mais um dia ou dois no hospital até se reorganizar a distribuição de espaços na Fundação”, disse.

Segundo dados do município de Vale de Cambra, o concelho registava na segunda-feira à noite, além de duas mortes, 82 casos confirmados de covid-19, entre os quais os 39 utentes do lar da Fundação Luiz Bernardo de Almeida e algumas das suas funcionárias.

Numa comunicação à população através da rede social Facebook, o presidente da Câmara afirmava que a Fundação “está a desenvolver todos os esforços para conter a propagação do vírus enquanto aguarda os restantes resultados dos testes já efectuados”.

Informado que contactou “o Comandante Distrital da Protecção Civil de Aveiro, que irá garantir a descontaminação das instalações da instituição por uma equipa especializada e devidamente equipada para o efeito”, José Pinheiro acrescentava que a Câmara tem vindo “a constituir uma reserva estratégica de equipamentos de protecção individual para dar resposta a eventual ruptura de stock por parte das instituições particulares de solidariedade social, num investimento que ascende aos 50.000 euros”.

Quanto aos esforços de diagnóstico da doença, o autarca do CDS-PP revelava também que têm hoje início os testes de rastreio no Centro Social e Paroquial de S. João Baptista, na freguesia de Cepelos, e na Santa Casa da Misericórdia, em Vale de Cambra. Esses exames foram adquiridos no mercado “no seguimento dos contactos desenvolvidos pela Câmara Municipal, que suportará os custos dos mesmos”.

Sugerir correcção