Covid-19: funicular dos Guindais, no Porto, encerra temporariamente a partir de quarta-feira

A Câmara do Porto explica que avaliou a utilização diária do Funicular dos Guindais no actual quadro, “tendo concluído que a média de passageiros diários era de apenas 25”.

Foto
Paulo Pimenta

Funicular dos Guindais, no Porto, encerra temporariamente a partir de quarta-feira, passando o transporte dos “passageiros habituais, com assinatura”, a ser assegurado por táxi, anunciou nesta terça-feira a Câmara do Porto.

Numa nota publicada na sua página oficial na Internet, a Câmara do Porto explica que, antes de tomar esta decisão, avaliou a utilização diária do Funicular dos Guindais no actual quadro, “tendo concluído que a média de passageiros diários era de apenas 25”.

Aferiu ainda que todos os utilizadores são também clientes habituais, que utilizam o equipamento para apoio domiciliário à população residente nas imediações e para deslocações casa-trabalho-casa.

Nesse contexto, foi decidido o seu encerramento temporário a partir de quarta-feira, sendo que “durante este período, o transporte de passageiros habituais, com assinatura, será assegurado por táxi, mas apenas só para estes utilizadores”.

Segundo o município, “todos os passageiros, portadores de assinatura, foram informados do encerramento temporário deste equipamento municipal, assim como da disponibilização do serviço de táxi, que estará disponível por chamada telefónica”.

O Funicular dos Guindais é propriedade da autarquia, encontrando-se ainda em operação pela empresa Metro do Porto a quem esteve desde a sua abertura concessionado, por um período de 15 anos.

A autarquia recorda, no entanto, que em Junho de 2019 deliberou reassumir a gestão deste equipamento com o objectivo de o enquadrar num sistema integrado de ligações mecanizadas entre a cota alta e a cota baixa.

O concurso público para a manutenção e operação do equipamento foi aprovado em Novembro de 2019, tendo o necessário visto do Tribunal de Contas para a sua efectivação sido remetido à Câmara do Porto no dia 01 de Abril.

A gestão vai ser feita através de um contrato de prestação de serviços à Liftech, operadora que venceu o concurso público por prévia qualificação, no valor de 2,17 milhões de euros.