Mais de 115 mil trabalhadores com apoio para ficarem com filhos em casa

A ministra do Trabalho e da Segurança Social, Ana Mendes Godinho, revelou, pela primeira vez, os dados da adesão ao apoio criado no âmbito das medidas de combate aos efeitos económicos da pandemia.

Foto
LUSA/LUÍS FORRA

Mais de 115 mil trabalhadores foram abrangidos pelo apoio financeiro dirigido aos pais que têm de ficar em casa com os filhos devido ao encerramento das escolas por causa da pandemia de covid-19, anunciou esta segunda-feira a ministra do Trabalho.

Os números foram adiantados pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, numa conferência de imprensa após a reunião da Concertação Social que se realizou por vídeoconferência.

Segundo a governante, foram abrangidos pelo apoio aos pais 115.218 trabalhadores, dos quais 94.779 são trabalhadores por conta de outrem, enquanto 18.574 são recibos verdes e 1865 do serviço doméstico.

O trabalhador por conta de outrem que fique em casa com os filhos tem direito a um apoio excepcional correspondente a dois terços da sua remuneração base, enquanto o trabalhador independente recebe um terço da base de incidência contributiva, ambos com limites mínimo e máximo definidos.

Ana Mendes Godinho revelou ainda que 11.380 pessoas recorreram ao apoio por isolamento profiláctico, que garante o pagamento da remuneração a 100% durante 14 dias.

Quanto ao apoio aos trabalhadores independentes por redução de actividade, a ministra disse que houve 105 mil candidaturas.

Já em relação ao layoff simplificado, Ana Mendes Godinho adiantou que até ao momento candidataram-se à medida 33.366 empresas, correspondente a um universo de 556.751 trabalhadores.

Sugerir correcção