A Espia, a nova série da RTP, também é sobre fazer ficção histórica de Portugal para o mundo

É o regresso de Daniela Ruah à ficção portuguesa depois de mais de uma década nos EUA, e é uma série de espionagem sobre o Portugal da II Guerra. Nos bastidores, estudaram-se séries estrangeiras, filmou-se muito e quer-se viajar ainda mais.

,Solteira e Boa Rapariga
Fotogaleria
Maria João Bastos e Daniela Ruah em A Espia RTP
Fotogaleria
Fotogaleria
,Instrumento de cordas
Fotogaleria
Cristina Ferreira
Fotogaleria

A nova série da RTP1 A Espia, que se estreia quarta-feira às 21h, é uma história de espionagem no Portugal dos anos 1940, da II Guerra Mundial, do volfrâmio e da colmeia de espionagem que zumbia para lá da mão férrea de Oliveira Salazar. É uma das mais importantes produções históricas da estação pública, chega numa altura também ela histórica para o país e nas entrelinhas conta outra história: como se tenta o salto internacional de uma série made in Portugal? Alerta de spoiler: é preciso engenharia financeira, medições artísticas ao milímetro e um trunfo como Daniela Ruah, que regressa à ficção portuguesa depois de 12 anos nos EUA.