Covid-19: Papa cria fundo de emergência para áreas missionárias afectadas pela pandemia

O Papa Francisco pretende ajudar diversas áreas da Ásia, América Latina e África, onde a escassez de meios combinada com a covid-19 pode criar situações difíceis de gerir.

,Papa
Foto
“O Papa está a convidar toda a vasta rede da Igreja a enfrentar os desafios futuros” EPA/ALBERTO PIZZOLI / POOL

O Papa Francisco instituiu, esta segunda-feira, um fundo de emergência para as áreas missionárias afectadas pela pandemia de covid-19 e fez uma primeira doação de 750 mil dólares (aproximadamente 695 mil euros), divulgou o Vaticano num comunicado emitido pela agência de comunicação das obras missionárias.

Desse modo, o Papa pretende ajudar diversas áreas da Ásia, América Latina e África, onde a escassez de meios combinada com as infecções pelo novo coronavírus pode criar situações difíceis de gerir. 

“O Papa está a convidar toda a vasta rede da Igreja a enfrentar os desafios futuros”, convidando assim os diferentes organismos da Igreja a contribuírem para esse fundo por meio das Pontifícias Obras Missionárias, disse o prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, cardeal Luis Antonio Tagle em comunicado. 

Luis Tagle explicou que somente em África existem mais de 74.000 irmãs religiosas e mais de 46.000 padres que administram 7274 hospitais e clínicas, 2346 lares para idosos e vulneráveis e educam mais de 19 milhões de crianças em 45.088 escolas primárias e em muitas áreas rurais, sendo “os únicos prestadores de cuidados de saúde e de educação”.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de covid-19, já infectou mais de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 70 mil. Dos casos de infecção, mais de 240 mil são considerados curados.

O continente africano tem levantado algumas preocupações humanitárias. A pandemia afecta já 52 dos 55 países e territórios africanos, depois de São Tomé e Príncipe ter confirmado os primeiros casos de covid-19. África conta com mais de 9200 infecções e 414 mortes, segundo o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC).

Sugerir correcção