Torne-se perito

ICA apoia próximos filmes de António da Cunha Telles, Jeanne Waltz e Margarida Cardoso

O montante disponível, de 1,8 milhões de euros, será repartido em partes iguais pelas três longas-metragens.

Foto
António da Cunha Telles RUI GAUDÊNCIO

Os realizadores António da Cunha Telles, Jeanne Waltz e Margarida Cardoso vão receber um total de 1,8 milhões de euros de apoio financeiro para a produção das suas próximas longas-metragens, revelou o Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA). O financiamento diz respeito ao segundo concurso de apoio para longas-metragens de ficção referente ainda a 2019, e ao qual foram admitidas 22 candidaturas.

De acordo com a decisão tomada pelo júri no passado dia 1 de Abril, que foi divulgada esta segunda-feira, o apoio financeiro será repartido em partes iguais pelos projectos Cherchez la Femme, com realização de António da Cunha Telles, O Vento Assobiando nas Gruas, de Jeanne Waltz, e Banzo, de Margarida Cardoso.

António da Cunha Telles, 85 anos, tem o seu nome ligado à produção dos primeiros filmes do Cinema Novo português, assinados, entre outros, por Paulo Rocha e Fernando Lopes. Enquanto realizador, fez cerca de uma dezena de filmes, sendo o mais recente Kiss me, de 2004.

Jeanne Waltz, realizadora suíça radicada em Portugal, autora de filmes como Pas Douce (2007) e Daqui prá Alegria (2004), adaptará o romance O Vento Assobiando nas Gruas, de Lídia Jorge.

Margarida Cardoso, que tem repartido o seu trabalho entre a ficção e o documentário, assinou, entre outros A Costa dos Murmúrios (2004), Yvone Kane (2014) e Understory (2019).

A este segundo concurso de apoio a longas-metragens de ficção foram admitidos projectos de, entre outros, Rodrigo Areias, Joaquim Leitão, Raquel Freire, Jorge Cramez, Rosa Coutinho Cabral e Inês Oliveira.

Dos 32 programas e subprogramas de apoio ao cinema e audiovisual de 2019, estão ainda por anunciar os resultados de cinco, nomeadamente o de apoio à produção de obras audiovisuais e multimédia em ficção e documentário, com um total de 2,4 milhões de euros.

Quanto ao plano de apoio financeiro de 2020, que abriu em Fevereiro com uma dotação total de 22,3 milhões de euros, apenas foi concluído o apoio automático, com um montante de 735 mil euros a repartir por produtores que tenham obtido pelo menos 20 mil espectadores em filmes recentes.

Assim, serão apoiados a Leopardo Filmes, pelos resultados em A Herdade, a Sky Dreams e a Santa Rita Filmes, por Snu, A Lanterna de Pedra Filmes, por Ladrões de Tuta e Meia, a produtora SLX Productions, por Solum, a David & Golias, por Variações, a Persona Non Grata, por Pedro e Inês, e a produtora Até ao Fim do Mundo, pelo documentário Tony.

Mesmo em situação de estado de emergência, o ICA revelou que manterá todo o calendário de apoios financeiros e que as reuniões dos júris que decidem os apoios decorrerão em videoconferência.