Opinião

Coisas para ler: quando Eça parece Jorge Luís Borges ou vice-versa

É por coisas como estas que vale a pena ler. Não se fica na mesma. Para a semana há mais.

Lá porque anda uma pandemia lá fora, os que estão cá dentro e que são gente com sorte porque não têm que estar de serviço, como médicos, enfermeiros, auxiliares, farmacêuticos, gente que trabalha em mercearias e supermercados, carteiros, etc., etc., pode ler. Mais: deve ler, que é a melhor forma de aproveitar o tempo. E para não sermos mais monotemáticos, as páginas dos jornais e as televisões e as rádios com overdose de covid-19, vamos falar de outra coisa. De leituras únicas, rápidas, breves, que estão em linha, e que mostram o esplendor da língua e da literatura portuguesa.