Uns terão mais de 1700 quilómetros quadrados por onde circular. Outros apenas oito

A ordem de só poder circular no concelho em que moram vai traduzir-se em realidades completamente diferentes para os habitantes de vários municípios.

Em Odemira, sobra espaço para quem está confinado ao seu concelho
Foto
Em Odemira, sobra espaço para quem está confinado ao seu concelho ADRIANO MIRANDA

A ordem é a mesma para todo o país, mas cumprir o confinamento rigoroso ao concelho de residência durante o período da Páscoa não será igual para um habitante de São João da Madeira e para um de Odemira. O motivo? O primeiro tem uma área de apenas oito quilómetros quadrados (é o mais pequeno do país), enquanto o segundo se estende ao longo de cerca de 1721 quilómetros quadrados (é o município português com mais área). 

Quem diz Odemira, também pode referir Alcácer do Sal (1500 quilómetros quadrados), Castelo Branco (1438) ou Idanha-a-Nova (1416), contrapondo com a Amadora (24 quilómetros quadrados), Espinho (21), Corvo (17) ou o Entroncamento (14), que também estão entre os mais pequenos.

Quer isto dizer que enquanto um munícipe de Odemira poderá andar circular ao longo de um território que vai do mar – passando por localidades como Vila Nova de Milfontes, Almograve e Zambujeira do Mar – até ao interior, passando ao longo do Rio Mira, entre outras paisagens, já para quem habita em São João da Madeira enfrentará uma realidade bem diferente. O confinamento rigoroso ao concelho de residência durante o período da Páscoa não deixa margem para grandes deslocações. Muito pelo contrário. Além de pequeno, o município é conhecido como a cidade do trabalho – por força da sua forte tradição ma área da indústria – e está cravado entre três municípios (Ovar, Santa Maria da Feira e Oliveira de Azeméis).

A mesma diferença pode sentir quem vive em Espinho em relação aos habitantes de Alcácer do Sal. A ordem de só poder circular no concelho em que moram vai traduzir-se, assim, em realidades completamente diferentes conforme a geografia onde habitam os portugueses. A que acresce ainda uma outra particularidade. É que há quem more em concelhos cujo território não é contínuo. Para esses casos, haverá excepções, disse o primeiro-ministro, apontando o caso de Vila Real de Santo António, Oliveira de Azeméis e Montijo. Mas existe ainda Gondomar, que não foi referido por António Costa, onde também é descontinuidades: para se ir da freguesia de Lomba para as outras do mesmo município, tem de se atravessar outros concelhos.

No entanto, esteja onde estiver, o conselho mantém-se o mesmo para o país inteiro em tempos de pandemia: Fique em casa.

Sugerir correcção