A aldeia de Astérix também está em isolamento e homenageia Uderzo com revista digital gratuita

Edição familiar em francês presta tributo ao ilustrador, que morreu no dia 24, e oferece viagens pelo universo Astérix e conselhos bem reais: “Fiquem em casa para vencer o vírus e proteger os mais frágeis”.

,Asterix
Foto
Os gauleses dão um pontapé no vírus Edições Albert René

Dias depois da morte de Albert Uderzo, o ilustrador que co-criou Astérix e os gauleses, as edições Albert René publicaram uma revista digital gratuita em que homenageiam o desenhador e oferecem actividades e pranchas sobre vários países visitados pelas personagens daquela popular banda desenhada. É uma revista “Irredutíveis com Astérix”, dedicada a “vencer o vírus e a proteger os mais frágeis” e que mostra a aldeia gaulesa a cumprir o isolamento recomendado nestes tempos do novo coronavírus. Entretanto, o número está já disponível também em português, com a promessa de edição semanal, pela Leya em versão ebook ou pdf para descarregar.

É também um número especial em que a editora fundada por Uderzo e René Goscinny (que morreu em 1977) admite: “O céu caiu-nos sobre a cabeça”. É que a morte de Albert Uderzo, no passado dia 24 de Março, foi um rude golpe na comunidade que há mais de 40 anos vivia órfã de um dos pais. Agora, com o desaparecimento de Uderzo, aos 92 anos, perde o autor de um “desenho de uma generosidade sem igual, capaz de nos fazer embarcar nos mais belos cenários de Roma, em tempestades dantescas no mar e em banquetes faustosos de fim de álbum que nos faziam respirar o cheiro do javali assado como se fôssemos parte dos convivas”, recorda o grupo editorial nas páginas da revista.

A frase sobre o céu que tomba sobre a cabeça dos gauleses, o grande temor da comunidade defendida por Astérix e Obélix, sempre repetido em cada história da aldeia irredutível, já tinha sido usada, por exemplo, pelo cartoonista francês Xavier Delucq, quando da morte do ilustrador. Foi apenas uma de muitas homenagens a Uderzo que povoaram a Internet na semana passada.

Nas páginas iniciais desta edição da revista publicam-se fotografias de arquivo e alguns esboços de Uderzo, cujo papel na “melhoria do estatuto dos autores de BD” é também recordado. No final dessa secção dedicada ao autor, Astérix, Obélix e Ideafix estão cabisbaixos. Mas logo a seguir, e ao longo das 28 páginas que totalizam a edição especial, o trio ganha forças para uma nova luta: esmagar, pontapear e perseguir uns vírus que estão a tentar atormentar o seu mundo.

É que “na aldeia de Astérix, como em todo o lado, a palavra de ordem é clara: fiquem em casa para vencer o vírus e proteger os mais frágeis”. Isso, porém, não impede os gauleses de se divertirem. “Os druidas” das edições confeccionaram uma poção mágica, brinca a publicação, para levar os leitores aos países visitados por Astérix e Obélix ao longo das suas muitas aventuras –​ Hispânia (Espanha, ou uma Ibéria com uma aparição dos lusitanos), Bretanha (Inglaterra), Egipto ou Helvécia (Suíça).

A revista contém jogos e enigmas para entreter os mais jovens e os falantes de francês em geral –​ a edição começou por estar disponível apenas totalmente na língua original dos gauleses, mas as pranchas seleccionadas das viagens são facilmente identificáveis nos álbuns mais emblemáticos da série Astérix, traduzida em português e editada pela Asa. A revista especial em francês pode ser descarregada aqui.

Notícia actualizada às 18h30: informação sobre edição em português

Sugerir correcção