js Jorge Silva
Foto
js Jorge Silva

Covid-19: U.Minho disponibiliza computadores e acesso à Internet a alunos carenciados

Está a ser feito um “levantamento exaustivo” das situações mais críticas. Medidas visam garantir que o modelo de ensino à distância não deixa ninguém para trás.

A Universidade do Minho (UMinho) vai disponibilizar computadores e acesso à Internet aos alunos mais carenciados, para garantir que ninguém fica para trás com o ensino à distância implementado por causa da covid-19, anunciou esta quarta-feira o reitor.

Em conferência de imprensa, Rui Vieira de Castro disse que já está a ser feito um “levantamento exaustivo” das situações mais críticas e adiantou que uma das soluções pode passar pela alteração do regulamento do Fundo Social de Emergência (FSE). O objectivo é que o FSE possa ser aplicado na compra de equipamentos e comunicações, de forma a que os alunos possam completar as suas unidades curriculares.

Paralelamente, vão ser feitas campanhas junto de antigos estudantes da UMinho, para que também estes possam dar uma ajuda. “Esta é uma realidade à qual estamos muito atentos”, referiu Rui Vieira de Castro. Sublinhou que, entre os cerca de 19.500 estudantes da academia, há perto de 6.000 com bolsa.

A actividade lectiva na UMinho relativa ao 2.º semestre do actual ano lectivo será assegurada em regime de ensino à distância. O período lectivo é alargado até 27 de Junho, de forma a permitir uma gestão “mais flexível” do desenvolvimento das unidades curriculares.

Estas medidas são consequência da pandemia da covid-19, que já tinham levado a Universidade do Minho, no início deste mês, a suspender as actividades lectivas presenciais. Rui Vieira de Castro disse que a transição das aulas presenciais para o ensino à distância tem sido bem-sucedida e tem permitido o normal funcionamento da grande maioria das unidades curriculares, mas admitiu “normais dificuldades” naquelas em que há uma mais forte componente prática. Em relação aos funcionários, a esmagadora maioria está em teletrabalho.