DALLASREEDY/UNSPLASH
Foto
DALLASREEDY/UNSPLASH

Há (bom) cinema grátis para ver em casa nesta quarentena

Cansado do streaming habitual? Desde a plataforma da RTP a festivais de curtas online, há muita oferta cinematográfica para aproveitar nesta altura de distanciamento social — e tudo a custo zero.

Se já estás na segunda ou terceira semana de isolamento social devido ao surto do novo coronavírus, talvez já tenhas corrido o catálogo completo da HBO e da Netflix. Mas não desesperes: há muitas opções ainda por explorar fora da oferta habitual, muitas delas gratuitas, como as que escolhemos para este artigo. Só precisas de ter Internet.

A começar pelo RTP Play. Já quase com uma década de existência, o serviço de streaming da RTP tem-se vindo a transformar radicalmente e hoje já é um repositório intuitivo e dinâmico da programação original do serviço público, e não só. A começar na oferta de filmes, rotativa; neste momento tens disponíveis filmes como ÉdenO Que Está Por Vir (Mia Hansen-Løve, 2014 e 2016), muito aclamados pela crítica, o primeiro sobre a vida nocturna parisiense dos anos 90 e o segundo com Isabelle Huppert; e Linhas Tortas (Rita Nunes, 2019), um filme português com Joana Ribeiro que se estreou no Verão passado. Vale a pena espreitar regularmente o catálogo.

Já a produtora portuguesa Terratreme está a disponibilizar gratuitamente no Vimeo vários dos filmes que produziram nos últimos anos. A programação é renovada às terças e sextas-feiras, e cada filme fica disponível uma semana, sendo a selecção apresentada por temas. Neste momento, podes assistir a títulos como os documentários A Casa que Eu Quero (Raquel Marques, Joana Frazão, 2010) e Lacrau (João Vladimiro, 2013).

Se estás numa de curtas-metragens em língua francesa, o My French Film Festival: Stay Home Edition é tudo o que precisas. O já anual festival online de cinema francófono está de regresso com uma edição planeada especialmente para este período de confinamento social. Estão disponíveis curtas das últimas dez edições do festival, legendadas em várias línguas, entre elas o português — só precisas de te registar para ter acesso.

Por sua vez, o Cine Clube Viseu todas as semanas disponibiliza uma lista com novas sugestões gratuitas — o Kit Cinéphilo, uma “mostra semanal de sete filmes, sempre com um ponto de vista particular, um kit de sobrevivência cultural”. Esta semana, apresentam, entre outros, A Fábrica de Nada (Pedro Pinho, 2017), aclamado filme português que venceu o prémio da crítica internacional FIPRESCI em Cannes, e Glory at Sea (Behn Zeitlin, 2008), curta do realizador de Bestas do Sul Selvagem (2012).

A Medeia Filmes continua com a sua iniciativa Quarentena Cinéfila, que já tinha sido destacada pelo Ípsilon, ao disponibilizar três filmes por semana no seu site, às terças, quintas e sábados, podendo ver-se cada filme até ser partilhado o seguinte. Esta terça-feira começa a exibição da Trilogia das Cores (Krzysztof Kieslowski, 1993-1994). Já o site À Pala de Walsh tem feito um levantamento de muitas das obras lançadas online por realizadores portugueses recentemente e a Agência da Curta-Metragem começou também um canal de Vimeo chamado Filmes Curtos para Dias Longos.

Se a tua operadora de televisão é a Nowo, estás com sorte: “Nesta fase de controlo da covid-19, a Nowo oferece 30 euros de desconto em factura para utilizar no videoclube”, informa o serviço. “Todo o catálogo de filmes está abrangido”, incluindo as últimas estreias, como o blockbuster da Disney Frozen II - O Reino do Gelo, o vencedor do Óscar para Melhor Filme e Realizador Parasitas (de Bong Joon Ho) e até inéditos nas salas portuguesas como Um Rapaz Muito Especial (Alma Har'el).

E, já agora, uma sugestão fora da caixa: o clássico do terror A Noite dos Mortos-Vivos (1968), de George A. Romero, que está disponível legalmente em diversas plataformas. À época da sua estreia, um erro burocrático levou a que o filme ficasse sem direitos de autor, pelo que até hoje é do domínio público. No mesmo regime, existem inúmeros outros filmes listados pelo site Public Domain Movies, completamente disponíveis sem restrições.

São muitas as soluções para cinema em casa em tempos de pandemia. Vê uns filmes em casa, #VaiFicarTudoBem.

Sugerir correcção