Covid-19: RTP lança pacote de apoio à produção independente audiovisual

Pagamentos antecipados, novas encomendas e aquisições de conteúdos são algumas das medidas que a estação quer lançar no curto prazo, para acudir a um sector severamente afectado pela pandemia.

,Autoridade Reguladora da Mídia
Foto
PEDRO CUNHA/ARQUIVO

A RTP lançou esta terça-feira um pacote de apoio à produção independente audiovisual que prevê, entre outras medidas, a antecipação dos prazos de pagamento para liquidação a pronto nos programas já entregues ou para entrega a curto prazo. O objectivo é que o pacote tenha “impacto imediato” num sector severamente afectado pelos constrangimentos impostos pela pandemia, disse à Lusa o administrador Hugo Figueiredo, salientando que com estas medidas pretende-se “ajudar na tesouraria das indústrias criativas”.

Outra das medidas previstas é a melhoria das condições de pagamento para projectos de cinema, ficção e documentários já aprovados e em vias de passar à fase de produção. “Queremos fazer pagamentos mais faseados”, acrescentou Hugo Figueiredo, referindo que com esta medida a RTP passará a pagar 25% do montante no início da produção, 25% no final da produção e 50% com a entrega final. Na música e nas artes performativas os adiantamentos poderão chegar até 50%.

Esta antecipação na tesouraria “será provavelmente a medida mais bem recebida na fileira do cinema, séries e documentários”, considera o administrador.

Já para a fileira do teatro e da música, Hugo Figueiredo antecipa que estão “a ser preparados projectos com entidades” nessas áreas. Foi lançado “um desafio grande aos directores de programas para idealizarem em conjunto com os actores destas fileiras projectos inovadores”, precisa.

A RTP prevê um reforço de investimento nas próximas semanas para aquisição de conteúdos de stock de produtoras independentes e direitos de interpretações de artes performativas, para exibição nos canais e antenas RTP, incluindo as suas plataformas digitais.

O administrador da RTP não adiantou valores de investimento, referindo que orçamento que estava previsto para a grelha será direccionado para este âmbito.

O pacote prevê particular ênfase, durante todo o ano, na programação de conteúdos de produção nacional nos canais, antenas e plataformas digitais da RTP. Além disso, está previsto o lançamento de um ciclo de concertos via Internet, a negociar com os artistas e os seus agentes.

Hugo Figueiredo defende que iniciativas como as que têm sido desenvolvidas “por parte das indústrias criativas” em plataformas digitais como Facebook e o Instagram, de forma gratuita, “possam ser apoiadas pela RTP”. “Foi muito bom este movimento para as pessoas que estão em casa e a RTP assumirá uma parte desse papel, com uma curadoria nossa”, acrescenta.

A realização de nova edição da consulta de conteúdos já em Abril, para apresentação de projectos pelos produtores, é outra das medidas previstas: “Vamos antecipar o processo, queremos terminar antes do Verão.”

A RTP anunciou também que irá manter centenas de contratos de colaboradores e prestadores de serviço nas mais variadas áreas relacionadas com conteúdos, desde apoio a programas, concepção de formatos, pesquisa, guionismo, comentário e apresentação, entre outros.

A estação anunciou ainda que irá contactar as associações representativas do sector e os produtores independentes, no sentido de estas iniciativas entrarem em execução imediata.

Sugerir correcção