Portugal tem 140 mortes e 6408 casos — é a taxa de crescimento mais baixa desde agravamento do surto

A taxa de crescimento de casos de um dia para o outro foi a mais baixa desde o agravamento do surto. No dia 10 de Março, tinha sido registada uma variação de 5%; nesta segunda-feira, foi de 7,5%. O Norte do país continua a ser a região com mais casos e o Porto é o concelho com mais pessoas diagnosticadas com covid-19.

Foto
NUNO FERREIRA SANTOS

Até esta segunda-feira foram registadas 140 mortes – mais 21 do que no domingo – e 6408 casos de infecção pelo novo coronavírus em Portugal (são mais 446 do que no dia anterior, o que corresponde a um aumento de 7,5% face a domingo), segundo os dados revelados pela Direcção-Geral da Saúde (DGS) no boletim epidemiológico, actualizado diariamente. No domingo tinham sido registados 5962 casos de infecção e 119 mortes.

A taxa de crescimento de casos de um dia para o outro foi a mais baixa desde o agravamento do surto. No dia 10 de Março, tinha sido registada uma variação de 5%; nesta segunda-feira, foi de 7,5%. 

Há 4845 pessoas a aguardar resultado laboratorial e continuam a ser 43 as pessoas que recuperaram. Há 571 pessoas internadas e 164 nos cuidados intensivos (mais 26 do que no domingo). 

O Norte do país continua a ser a região com mais casos: são 3801 e 74 mortes; segue-se a região de Lisboa e Vale do Tejo com 1577 casos e 30 mortes. No concelho do Porto, há 941 casos de infecção registados no boletim desta segunda-feira, quando no domingo eram 417 – são mais 524 casos, ainda que nos dados de domingo fosse feita a ressalva de que os casos indicados tinham sido reportados pelas administrações regionais.​ O Porto é, assim, o concelho com mais casos de infecção, seguido de Lisboa (633), Vila Nova de Gaia (344), Maia (313) e Matosinhos (295). 

A directora-geral da Saúde admitiu que está a ser equacionado um cordão sanitário no Porto. “O Porto tem estado a receber todo o apoio nacional. Quanto ao cordão sanitário, provavelmente será hoje tomada uma decisão nesse sentido”, disse Graça Freitas. Esta decisão compete às autoridades regionais, às autoridades de saúde nacionais e ao Ministério da Saúde.

Das vítimas mortais, 83% tinham mais de 70 anos. Há ainda duas mulheres que morreram que tinham entre 40 e 49 anos; seis pessoas que morreram que tinham entre 50 e 59 anos; e 15 homens (e uma mulher) que tinham entre 60 e 69 anos.

Ainda que a maioria das mortes seja registada em pessoas com mais de 70 anos, no domingo morreu uma criança de 14 anos de Ovar, mas o seu óbito não aparece registado no boletim epidemiológico desta segunda-feira – o adolescente estava infectado com covid-19 mas também tinha outras complicações de saúde, explicou a ministra da Saúde, Marta Temido. A causa da morte ainda está a ser investigada. “Esta criança tinha uma situação complexa do estado clínico habitual e do estado agudo das últimas 24 horas. Apesar de ter um teste covid positivo, a sintomatologia com que chegou ao hospital pode indicar outro tipo de patologia. Temos, por isso, de ter muito cuidado na análise. Tinha covid, sim, mas isso não impede que tivesse outros problemas graves. É uma situação que tem de ser vista com cautela do ponto de vista clínico”, detalhou a directora-geral da Saúde, Graça Freitas.

Portugal tem 853 profissionais de saúde infectados

O número de profissionais infectados pelo novo coronavírus aumentou para 853, representando 13% do total de casos confirmados em Portugal, adiantou o secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, na conferência de imprensa desta segunda-feira.

Do total de profissionais de saúde infectados, 209 são médicos e 177 enfermeiros, afirmou António Sales na conferência de imprensa diária de actualização de informação. Os 853 casos de infecção de profissionais anunciados representam um aumento de 89 casos em relação a números divulgados no sábado.

“Nas próximas semanas vão ser testados funcionários e utentes de lares de idosos”, afirmou António Sales, secretário de Estado da Saúde, na conferência de imprensa desta segunda-feira. Relembrou que os idosos são “a população mais exposta a letalidade deste vírus”.

No que diz respeito aos lares, Graça Freitas, directora-geral da Saúde, diz que “os profissionais destes lares serão todos gradualmente testados, porque se identificar alguém positivo mas assintomático é logo isolado do circuito”.

“A grande preocupação do Ministério da Saúde é testar, isolar, proteger e tratar”, afirmou nesta segunda-feira o secretário de Estado da Saúde, António Sales, em conferência de imprensa no Ministério da Saúde. “Recebemos a semana passada mais de 66 mil testes, milhões de máscaras cirúrgicas e 1,2 milhões de respiradores, entre outros equipamentos” diz António Sales. “Hoje deverão chegar 700 mil respiradores e 200 mil testes. E nos próximos dias 100 toneladas de equipamentos de protecção individual”, acrescenta.

A pandemia de covid-19 já fez pelo menos 33.568 mortes por todo o mundo desde que a doença surgiu em Dezembro na China. Até hoje, foram diagnosticados pelos menos 715 mil casos de infecção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 (que provoca a doença covid-19). A Itália continua a ser o país com mais mortes (mais de 10 mil), seguido de Espanha e da China (3304 mortes) – os Estados Unidos têm já mais de 143 mil casos de infecção e 2514 mortes. Em Espanha, morreram 812 pessoas nas últimas 24 horas – no total, já morreram 7340 pessoas e há mais de 85 mil pessoas infectadas no país.

Sugerir correcção