Tribunal recusa suspender prisão a três arguidos do Face Oculta

Foram condenados a menos de cinco anos cada um, mas os juizes não acreditam que se arrependeram ou que não voltem a prevaricar. Manuel Godinho passou de 13 anos de prisão para 12. Juizes dizem que o seu comportamento “denota uma personalidade propensa para o crime”.

Foto
Manuel Godinho, um dos principais arguidos, viu a pena passar de 13 para 12 anos e prisão. ADRIANO MIRANDA / PUBLICO

O Tribunal de Aveiro recusou suspender as penas de prisão inferiores a cinco anos a que foram condenados três dos arguidos do processo Face Oculta por considerar que não é seguro que não voltem a cometer crimes e porque não demonstraram arrependimento.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários