Os restaurantes que dão uma mão e comida aos que precisam

Restaurantes unem-se em projectos solidários por todo o país. Eis algumas das iniciativas que já estão a fazer a diferença.

Foto
É Um Restaurante Pedro Fazeres

LISBOA

Quem antes dormia nas ruas, agora alimenta quem ainda lá está

É Um Restaurante, o projecto que nasceu em Lisboa pelas mãos da associação Crescer para dar formação profissional e um emprego inicial a pessoas que estiveram em situação de sem-abrigo, começou quarta-feira a distribuir 200 refeições por pessoas que estão a dormir na rua. A distribuição é feita pelos próprios técnicos da Crescer, embora esta não seja uma actividade habitual da associação, e os produtos são dados pela Makro e outros fornecedores, que se espera que venham a aumentar em número, permitindo assegurar a continuidade.

Obrigado, como todos os outros, a fechar as portas para evitar a propagação da pandemia, o projecto, que conta com o apoio dos chefs Nuno Bergonse e David Jesus, procurou a melhor forma de se tornar útil durante a crise. Na operação estão envolvidas sete pessoas que estiveram ou estão em situação de sem abrigo (sem abrigo é não apenas quem dorme na rua, mas também quem está em abrigos de emergência, locais precários ou alojamentos temporários – é esta a situação da maioria das pessoas que trabalham no É Um Restaurante).
eumrestaurante.pt

ALGARVE e PORTO

Chefs unem-se para Alimentar a Saúde

Da cozinha do restaurante Vistas, em Vila Nova de Cacela, no Algarve, têm estado a sair refeições destinadas ao Hospital de Faro e a famílias com maiores necessidades. No Porto, na cozinha do Oficina, três cozinheiros estiveram esta semana a preparar pratos de massada de peixe destinados a famílias carenciadas da cidade. A ideia da iniciativa Alimentar a Saúde nasceu da cabeça de Rui Silvestre, do algarvio Vistas, que entrou em contacto com a Makro, onde em tempos normais os chefs se abastecem de muitos dos ingredientes que utilizam, para saber se teria à disposição produtos para cozinhar.

Perante a resposta afirmativa, contactou a Rede de Emergência Alimentar, lançada no dia 20 pela Federação de Bancos Alimentares, e ofereceu-se para cozinhar refeições destinadas a “pessoal médico, lares, associações e famílias carenciadas”. A Rui Silvestre juntou-se, no Algarve, Noélia, do restaurante Noélia e Jerónimo, em Cabanas de Tavira, que está igualmente a preparar refeições com os produtos fornecidos pela Makro. A ideia é ir alargando a operação, tanto quanto for possível, ao resto do país, juntando chefs que tenham cozinhas e equipas paradas e que queiram ajudar. 

PÚBLICO -
Foto
A ideia de ajudar a partir dos restaurantes partiu do chef Rui Silvestre dr

ALENTEJO

Craveiral faz distribuição e disponibiliza casas

Foi logo a partir do dia 18 de Março que o Craveiral, projecto de alojamento situado na costa alentejana, próximo de São Teotónio, iniciou a distribuição porta a porta de refeições feitas no seu restaurante e com um custo de 3€ (até 50 almoços e 50 jantares por dia). A distribuição é feita num raio de 5km em redor da propriedade, e é dada prioridade aos mais idosos. Às refeições somaram-se depois produtos básicos de mercearia, higiene e farmácia, que são levados também pela equipa do Craveiral até casa de quem necessitar (igualmente num raio de 5km, com custo de 3€ por entrega além do preço dos bens). O Craveiral anunciou também que coloca ao dispor das autoridades portuguesas as perto de 40 casas do resort “para cuidados profilácticos, quarentenas obrigatórias e hospitalização domiciliária”.
craveiral.pt[email protected]

NACIONAL

Cadeia de solidariedade cozinha para os “heróis”

Seis cadeias de restauração, cinco delas especializadas no serviço de entrega ao domicílio, decidiram juntar-se para distribuir refeições gratuitas aos profissionais de saúde que estão na linha da frente contra a pandemia de covid-19. 

PÚBLICO -
Foto
dr

A iniciativa chama-se Food for Heroes e promete fazer uma entrega por dia a um hospital diferente. As unidades de saúde têm apenas de enviar um e-mail para [email protected], referindo o nome da pessoa que fica responsável pelo pedido, o contacto telefónico, o número de profissionais abrangidos e o local e horário de entrega, sendo que esta poderá ser feita entre as 18h e as 19h ou entre as 22h e as 23h. 

“Em tempos difíceis não há concorrência, há solidariedade e cooperação”, pode ler-se no comunicado do movimento. “Sabemos que este é um período de grande esforço e dificuldade, e que muitos nem tempo têm para se alimentar e recuperar forças. Assim decidimos dar o nosso pequeno contributo.” 

Para já, a iniciativa arranca com seis cadeias de restauração associadas: a comida italiana do grupo Non Basta, os sabores japoneses das marcas Aruki, Home Sweet Sushi e Sushi @ home, o frango de churrasco da Chickinho e os hambúrgueres do The Burger Guy. Mas o objectivo é que mais restaurantes se juntem ao projecto.  
instagram.com/foodforheroes.pt

LISBOA

Casa da Comida oferece refeições aos sem-abrigo  

O Grupo Casa da Comida decidiu continuar a “sua acção de responsabilidade social” e entrega, semanalmente, de “pelo menos sessenta refeições aos mais necessitados”, através da Irmandade da Conceição Velha, que presta apoio a sem-abrigo. “A responsabilidade social foi sempre uma preocupação da Casa da Comida que, durante todos estes anos, tem colaborado com instituições como o Banco Alimentar contra a Fome, Ajuda de Mãe e Refood”, acrescenta o grupo em comunicado.
casadacomida.pt