OMS diz-lhe o quer saber sobre a covid-19 através do WhatsApp

O sistema (disponível em inglês, francês, espanhol e arábico) permite aceder a informação rápida sobre a covid-19 através de vários menus de perguntas e respostas.

,Aplicativos de mensagens
Foto
As respostas são automáticas Dado Ruvic

A Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou um canal de mensagens automático para esclarecer dúvidas e disponibilizar informação no WhatsApp sobre a pandemia covid-19 em Arábe, Inglês, Francês e Espanhol.

A linguagem do Health Alert (inglês para “Alerta de Saúde”) da OMS é simples e acessível, com vídeos, documentos, e emojis a serem utilizados para ajudar os utilizadores. Como se trata de um chatbot (sistema de conversas automatizados), as respostas são instantâneas.

PÚBLICO -
Foto
O serviço recorre a emojis, vídeos e documentos para disponibilizar informação

O sistema baseia-se num chatbot desenvolvido na África do Sul pela organização não-governamental Praekelt.org que conseguiu reunir 10 milhões de utilizadores entre os dias 20 e 23 de Março. “O sistema de resposta automático oferece respostas às perguntas mais frequentes e alivia o tráfego às linhas de apoio centrais”, explica a equipa da Praekelt.org na apresentação do chatbot sul-africano.

A organização juntou-se à OMS para expandir o programa a nível global. Embora o utilizador active o sistema com um “Olá”, o chatbot funciona com respostas e perguntas pré-definidas. O primeiro menu que surge permite pedir informação sobre os números de casos em todo o mundo, recomendações de segurança, rumores que estejam a circular, conselhos de viagem e notícias. Também é possível aceder a um conjunto de perguntas e respostas frequentes, ou ser direccionado para sites onde se podem fazer donativos para ajudar a OMS a travar a propagação da covid-19.

O objectivo do serviço é simplificar o acesso a informação fidedigna através do serviço de mensagens do Facebook que é utilizado por mais de dois mil milhões de pessoas em todo o mundo. “Isto permite à OMS levar a informação directamente às mãos de quem precisa”, lê-se no comunicado de imprensa.

A equipa espera alargar o número de linguagens em que o programa está disponível nos próximos dias.