Coronavírus

O regresso ao "normal" (e ao exterior) da província de Hubei, onde tudo começou

Reuters
Fotogaleria
Reuters

E, nesta quarta-feira, 25 de Março, a vida começou lentamente a voltar ao (novo) "normal" na província de Hubei, na China. Dois meses de confinamento depois, construções voltaram a ser erguidas ao mesmo tempo que as restrições de trânsito eram levantadas e as pessoas voltaram a poder atravessar fronteiras, juntas em autocarros e comboios.

"Reservei o meu bilhete esta manhã, depois de ouvir as notícias", disse Chen Ting à agência Reuters, ao desembarcar com o filho de três anos de um comboio chegado à cidade de Xianning. Toda a gente usava máscaras. 

À chegada, é pedido aos passageiros que mostrem os "códigos de saúde" nos seus telemóveis, prova que não tinham estado em zonas de alto risco nos últimos 14 dias. Os dois metros de distância encurtaram enquanto esperavam nas filas. 

Para já, só Wuhan, o epicentro inicial do surto provocado pelo novo coronavírus, continua fechado. Espera-se que o isolamento seja levantado a 8 de Abril, enquanto a China se preocupa agora com casos importados e com a recuperação económica. Segundo o regime chinês, desde 19 de Março que a China não regista casos de transmissão local. No entanto, peritos internacionais temem um segunda vaga de casos no país e suspeitam que haja casos que não estão a ser tornados públicos. Desde o encobrimento inicial do regime que a confiança no poder central e local está abalada, relata o New York Times a partir da China. Para já, o regresso ao (novo) normal começou, timidamente. 

Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Reuters
Sugerir correcção