Com Alemanha ou sem ela, avancem para os eurobonds

Tirem a ideia do papel e ponham-na em prática. Esperem quinze dias se necessário for, mas vão para a próxima cimeira dizendo: amigo não empata amigo, nós vamos avançar.

Desde 2012 que os leitores desta crónica sabem uma coisa: não precisamos da Alemanha para emitir eurobonds — títulos de dívida comuns a vários países da zona euro. Ontem os leitores do colunista Wolfgang Münchau, do Financial Times, também o ficaram a saber. Pode ser que agora os eurocéticos portugueses comecem a prestar atenção.