O acidente mortal na Linha do Tua que ficou nove anos em tribunal

A CP e a Refer, empresas públicas sob a mesma tutela, acusam-se reciprocamente em tribunal, fruto da separação entre a roda e o carril. Numa série de cinco dias, o PÚBLICO revisita cinco casos. Como o do acidente na Linha do Tua em 2008, em que a culpa foi dividida por ambas

Fotogaleria
NELSON GARRIDO / PUBLICO
Fotogaleria
NELSON GARRIDO / PUBLICO
Transporte ferroviário
Fotogaleria
NELSON GARRIDO / PUBLICO

No dia 22 de Agosto de 2008, a automotora que partira de Mirandela com destino ao Tua saltou dos carris perto do Cachão, rodou sobre si mesma e imobilizou-se no fundo de uma ravina. O acidente provocou um morto e 41 feridos. CP e Refer (hoje Infra-estruturas de Portugal) pelearam durante nove anos no tribunal sobre as causas do acidente e o pagamento das indemnizações às vítimas.