Coronavírus estraga as Festas do Povo de Campo Maior: adiadas para 2021

As festas que só acontecem quando o povo quer, afinal, não voltam este Verão, como já estava decidido. As flores só voltarão a invadir as ruas no próximo ano, até porque era agora que os trabalhos começariam.

Fotogaleria
Em 2004 Nacho Doce / Reuters
Fotogaleria
Em 2004 Nacho Doce / Reuters
Fotogaleria
Em 2004 Nacho Doce / Reuters
Fotogaleria
Em 2004 Nacho Doce / Reuters
Fotogaleria
Em 2004 Nacho Doce / Reuters
Fotogaleria
Em 2004 Reuters
Fotogaleria
Em 2011 Rafael Marchante / Reuters
Fotogaleria
Em 2011 Rafael Marchante / Reuters
Fotogaleria
Em 2011 Rafael Marchante / Reuters
Fotogaleria
Em 2004 Reuters
Fotogaleria
Em 2004 Nacho Doce/Reuters
Fotogaleria
Em 1998 Reuters
Fotogaleria
Em 1998 Reuters
Fotogaleria
Durante os preparativos da festa em 2011 Pedro Cunha
Fotogaleria
Durante os preparativos da festa em 2011 Pedro Cunha
Fotogaleria
Durante os preparativos da festa em 2011 Pedro Cunha
Fotogaleria
Durante os preparativos da festa em 2011 Pedro Cunha
Fotogaleria
Durante os preparativos da festa em 2011 Pedro Cunha
Fotogaleria
Campo Maior Pedro Cunha

As tradicionais Festas do Povo de Campo Maior (Portalegre), que fazem “florir” a vila com flores de papel, foram adiadas para 2021 na sequência da pandemia de covid-19, confirmou a organização. As festas são decididas pelos moradores, não tendo periodicidade definida. 

Em 2011, chegaram a um milhão de visitantesVoltaram em 2015 e 2020 tinha sido declarado recentemente ano de Festas do Povo. 

De tradição secular e realizadas pela última vez em 2015, as festas estavam agendadas para este ano, entre os dias 29 de Agosto a 6 de Setembro.

PÚBLICO -
Foto
Preparativos para as festas de 2015 MARA CARVALHO

“Nós decidimos adiar as festas para 2021, com data ainda por definir”, disse a presidente da Associação das Festas do Povo de Campo Maior, Vanda Portela, à Lusa.

A decisão de adiar o evento, que tem como principal atractivo apresentar aos visitantes dezenas de ruas “engalanadas” com flores de papel, foi tomada em parceria com o município.

“A parte logística das festas está comprometida. A essência das festas era o começar agora, com as pessoas a recolher os materiais para fazer as flores, mas como não é possível os ajuntamentos, nós o que fizemos foi parar”, explicou.

Em comunicado, a Câmara de Campo Maior sublinha que esta não foi uma decisão tomada de “ânimo leve”, mas “valores mais altos se levantam” perante a situação que se vive devido ao surto.

A preparação dos festejos é feita rua a rua, sendo que o trabalho desenvolvido em cada uma delas fica em segredo, mesmo para amigos e familiares dos moradores, e só é dado a conhecer na noite da enramação (quando são decoradas).

Em 2015, perto de 7.500 voluntários prepararam a última edição das Festas do Povo, na qual participaram 99 ruas, numa extensão de cerca de 10 quilómetros.

As Festas do Povo de Campo Maior passaram, em Dezembro de 2018, a estar inscritas no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, estando ainda em curso a sua candidatura a Património Cultural Imaterial da Humanidade, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

O presidente da Turismo do Alentejo e Ribatejo, António Ceia da Silva, disse à Lusa no início deste mês que as Festas do Povo de Campo Maior vão ser “a candidatura portuguesa em 2021” à UNESCO.

O processo está entregue na UNESCO, “em Paris”, França, e “será a candidatura portuguesa em 2021”, adiantou o responsável da Entidade Regional de Turismo.

Sugerir correcção