Mais de um terço da população mundial fechado em casa

Mais de três mil milhões de pessoas estão isoladas em casa. Pelo menos 18 países adoptaram recolher obrigatório.

Fotogaleria
Em pleno Estado de Emergência, a famosa Rua Augusta, na baixa lisboeta, encontra-se sem cidadãos e sem turistas Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Zona ribeirinha de lisboa, perto da Ponte 25 de Abril Nuno Ferreira Santos
Fotogaleria
Em Ovar foi decretado estado de Calamidade ADRIANO MIRANDA
Fotogaleria
Zona ribeirinha do Porto, perto da Ponte D. Luís I Paulo Pimenta
Fotogaleria
Rua de Santa Catarina, no Porto Paulo Pimenta
Fotogaleria
Em Nova Deli, na Índia, foi decretado quarentena durante 14 horas seguidas, de forma a conter a propagação do novo coronavírus Reuters/ANUSHREE FADNAVIS
Fotogaleria
Os habituais comboios cheios na Índia encontram-se agora sem passageiros Reuters/ADNAN ABIDI
Fotogaleria
O famoso centro comercial do Dubai encontra-se fechado ao público depois da decisão de se encerrarem todos os espaços comerciais EPA/MAHMOUD KHALED
Fotogaleria
Depois do segundo caso confirmado no Nepal o Governo decretou uma semana de quarentena até 31 de Março EPA/NARENDRA SHRESTHA
Fotogaleria
Na Austrália entrou-se num "estado crítico". Em Nova Gales do Sul começou-se a fechar serviços não essenciais Reuters/LOREN ELLIOTT
Fotogaleria
Argélia é dos países mais afectados do continente africano, segundo o último relatório da Organização Mundial de Saúde Reuters/RAMZI BOUDINA
Fotogaleria
No segundo dia de quarentena este era o cenário em Tunes, Tunísia EPA/MOHAMED MESSARA
Fotogaleria
Casablanca, Marrocos Reuters/YOUSSEF BOUDLAL
Fotogaleria
Em Beirute, Líbano, os cartazes de rua dizem "fique em casa" EPA/WAEL HAMZEH
Fotogaleria
Em Nova Iorque, cidade que se encontra actualmente em quarentena, a ponte de Brooklyn já não está cheia de turistas como é habitual EPA/Alba Vigaray
Fotogaleria
A praça mais movimentada dos Estados Unidos, Times Square, praticamente parou Reuters/CARLO ALLEGRI
Fotogaleria
Santa Monica, Califórnia, Estados Unidos EPA/ETIENNE LAURENT
Fotogaleria
Praia de Copacabana, Rio de Janeiro, Brasil Reuters/RICARDO MORAES
Fotogaleria
Havana, Cuba EPA/Ernesto Mastrascusa
Fotogaleria
Alemanha é dos países europeus que melhor está a conter o novo coronavírus Reuters/REINHARD KRAUSE
Fotogaleria
Milão é das cidades mais afectadas pela covid-19. Itália é agora o pior caso no mundo EPA/ANDREA FASANI
Fotogaleria
As políticas inglesas demoraram, mas o primeiro-ministro, Boris Johnson, já pediu aos ingleses para ficarem em casa EPA/WILL OLIVER
Fotogaleria
Aeroporto de Copenhaga, Dinamarca Reuters/RITZAU SCANPIX
Fotogaleria
As mortes em Espanha continuam a aumentar, sendo Madrid o local mais preocupante. Espanha, tal como Itália, já ultrapassou a China em número de mortes EPA/Chema Moya
Fotogaleria
Em França a quarentena poderá ser prolongada por mais cinco ou seis semanas Reuters/BENOIT TESSIER

Mais de três mil milhões de pessoas em quase 70 países ou territórios estão actualmente confinadas nas suas casas por ordem das autoridades para combater a propagação da covid-19, segundo um balanço avançado esta quarta-feira pela Agence France-Presse (AFP).

As populações em questão já representavam, desde terça-feira, mais de um terço da população mundial actual, estimada pelas Nações Unidas em 7,8 mil milhões de pessoas.

Uma grande parte dos países ou territórios afectados pela pandemia decretaram um confinamento obrigatório das suas populações: um conjunto de cerca de 40 países e territórios que representam pelo menos 2,3 mil milhões de pessoas, de acordo com o balanço da AFP.

Entre estes estão a Índia, vários estados no território dos Estados Unidos (como a Califórnia), a Colômbia, a Argentina, o Nepal, o Iraque e muitos países europeus (Reino Unido, França, Itália, Espanha, Portugal, entre outros). O Panamá é o caso mais recente a integrar esta lista.

Na quinta-feira, será a vez da África do Sul, que também decretou a partir desse dia o confinamento obrigatório da população.

Na maioria destes países e territórios, ainda é possível sair de casa para ir trabalhar, comprar produtos de primeira necessidade ou ir a consultas médicas.

Em pelo menos outros sete países ou territórios (que representam uma população total de mais de 416 milhões de pessoas), incluindo o Irão, a Alemanha ou o Canadá, as autoridades locais pediram às respectivas populações para ficarem em casa, mas sem tomarem medidas coercivas.

A Rússia foi o último país a avançar, esta quarta-feira, com estas recomendações.

Pelo menos outros 18 países ou territórios (representando mais de 300 milhões de pessoas) adoptaram o recolher obrigatório, proibindo saídas nocturnas de casa. É caso do Egipto, Costa do Marfim, Chile, Manila (capital das Filipinas) e Sérvia.

O recolher obrigatório mais restritivo foi decretado no Equador: os habitantes só podem sair das respectivas casas entre as 5h00 e as 14h00.

A AFP contabiliza ainda pelo menos cinco países que colocaram em quarentena as suas principais cidades, proibindo as entradas e as saídas nessas zonas. Esses exemplos são Kinshasa, a capital da República Democrática do Congo, as cidades de Riade, Medina e Meca na Arábia Saudita ou Baku, capital do Azerbaijão. Estas cidades representam um total de quase 30 milhões de habitantes.

O novo coronavírus já infectou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo e causou a morte de mais de 19 mil pessoas.

Sugerir correcção