Príncipe Carlos infectado com o novo coronavírus

O herdeiro da coroa britânica fez o teste de despiste e o resultado foi positivo. O exame à mulher Camila, duquesa da Cornualha, foi negativo para SARS-CoV-2.

Carlos está a cumprir auto-isolamento
Foto
Carlos está a cumprir auto-isolamento Reuters/POOL New

Há pelo menos dois dias que havia suspeitas de que o príncipe Carlos seria um dos casos de infecção pelo vírus SARS-CoV-2, sobretudo depois de o príncipe Alberto do Mónaco ter acusado positivo no teste — ambos tinham estado juntos nove dias antes da confirmação do chefe do principado num evento de beneficência que decorreu em Londres. Agora, chega a certeza: Carlos está infectado. Já Camila não apresentou indícios de ter sido infectada, com testes de resultado negativo.

“De acordo com os conselhos do Governo e da medicina, o príncipe e a duquesa estão agora em auto-isolamento em casa, na Escócia”, informou um porta-voz da Clarence House, a residência oficial dos duques, que adiantou que “os testes foram realizados pelo NHS (serviço nacional de saúde britânico), em Aberdeenshire (Escócia), onde foram cumpridos os critérios exigidos para os testes”.

Sobre a cadeia de transmissão, o mesmo responsável admitiu não ser “possível determinar de quem o príncipe apanhou o vírus, devido ao elevado número de compromissos que desempenhou no seu papel público durante as últimas semanas”.

Certo é que, coincidindo com o anúncio de Alberto do Mónaco, o príncipe de Gales, herdeiro do trono britânico, adiou de imediato o seu périplo de Primavera, tendo decidido ficar em casa, a cumprir o distanciamento social que os cientistas aconselham.

Tanto Carlos como Camila, com 71 e 72 anos, respectivamente, inserem-se na faixa etária de grande risco

A notícia chega depois de o Governo do Reino Unido, na segunda-feira, ter invertido a sua posição inicial no combate à pandemia (o primeiro-ministro Boris Johnson começou por defender a exploração da teoria da “imunidade de grupo”) e decretado medidas mais duras para combater a propagação do coronavírus. Entre as decisões anunciadas, foi decidido que, pelo menos durante as próximas três semanas, só se pode sair de casa por motivos de força maior, as lojas de bens não essenciais se manterão encerradas, além de os ajuntamentos com mais de duas pessoas ficarem proibidos e todos os eventos sociais cancelados. 

O Reino Unido contabiliza, a esta data, mais de oito mil casos diagnosticados e 423 mortos; apenas 140 já recuperaram. Com estes números, o país é o décimo mais afectado em todo o mundo em número de diagnósticos e o sexto em óbitos.