Intervalo na sessão (sem fim à vista)

Ainda nem há um mês, os Óscares faziam uma ponte periclitante entre a distribuição e exibição de cinema, sublinhavam o divórcio entre a sala e o ecrã lá de casa. Bastaram poucas semanas, e a expansão veloz do coronavírus SARS-CoV19, para tudo ficar de pantanas: as salas fecharam, o cinema ficou reduzido ao pequeno ecrã. E nada vai ser como antes.

Foi apenas há pouco mais de um mês. Com os Óscares à porta, discutíamos o que podia significar a “festa” americana do cinema para um mercado periférico como o português, num momento em que alguns dos nomeados mais importantes tinham sido produzidos por, e para, um serviço de streaming e não tinham sequer tido entre nós existência em sala.