Coronavírus

Os belgas vão à janela mostrar os seus tesouros da quarentena

Yves Herman/Reuters
Fotogaleria
Yves Herman/Reuters

A Bélgica contava com 1486 infectados com covid-19 quando reforçou as medidas de isolamento e distanciamento social no dia 18 de Março, numa tentativa de abrandar o surto do novo coronavírus. No dia seguinte, o fotógrafo Yves Herman, da Reuters, saiu à rua para fotografar quem não o podia fazer. Das varandas e janelas, os residentes mostraram os objectos que lhes são mais queridos e preciosos durante estes tempos.

Seja para entretenimento ou para teletrabalho, a tecnologia foi das opções mais frequentes — de tablets e computadores a comandos de consolas de videojogos ou auscultadores. Um dos fotografados, Laurent Lanthier, mostrou um rolo de papel higiénico, o (valioso) produto que tem desaparecido das prateleiras dos supermercados. Há quem apresente o seu animal de estimação e ainda quem escolha livros, desenhos e ainda brinquedos dos filhos (sim, porque isolamento em casa com crianças não é tarefa fácil sem actividades).

De momento, a Bélgica conta com 3 743 casos confirmados e 88 mortes. Segundo a Ministra da Saúde, Maggie De Block, citada pela Reuters, este regime de isolamento, previsto para terminar a 5 de Abril, poderá vir a estender-se pelo menos mais oito semanas, seguindo o exemplo da China e da Coreia do Sul.

No mesmo dia em que a Bélgica tomou estas medidas, Portugal decretou estado de emergência, o que restringiu as deslocações e implementou o dever de o recolhimento domiciliário. Ainda ninguém veio à janela mostrar os seus tesouros, mas os portugueses estão a partilhar como é viver sem sair de casa com o P3.

Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters
Sugerir correcção