Luísa Salgueiro, infectada com coronavírus, continuará a liderar as reuniões camarárias

A presidente da câmara de Matosinhos está assintomática e a trabalhar a partir de casa. Correia Pinto continua internado em estado clínico estável. O vice-presidente Fernando Rocha está em quarentena mas não fez teste por não apresentar sintomas.

Foto
NELSON GARRIDO

A presidente da câmara de Matosinhos, Luísa Salgueiro, que a 20 de Março deu positivo no teste realizado para apurar se estaria infectada pelo coronavírus, vai continuar a liderar as reuniões camarárias. A próxima, que seria pública, será realizada à porta fechada via videoconferência com todos os vereadores à excepção de Correia Pinto, por continuar internado no hospital Pedro Hispano, também infectado com o vírus. O vereador da Educação e Qualificação Ambiental foi o primeiro a dar positivo, depois de regressar de uma viagem a Itália – país da Europa onde foram registados mais casos de infectados (a rondar os 60 mil) e o maior número de mortes no mundo inteiro (acima dos 5 mil).

De acordo com a autarquia, Luísa Salgueiro está assintomática e continua a trabalhar a partir de casa, onde está em quarentena. Há mais um vereador de quarentena que ainda não foi testado por não apresentar sintomas. Fernando Rocha, vice-presidente e vereador da Cultura, é o único que permanece em casa por indicação do delegado de saúde. Os restantes não estão obrigados a fazê-lo, embora optem pelo isolamento voluntário.

A reunião desta terça-feira foi adiada para sexta-feira por acordo de todos os vereadores. Decorrerá por videoconferência e será assim nos próximos tempos e até indicação em contrário, que dependerá da evolução do vírus que em Portugal já infectou mais de duas mil pessoas e matou 23 dos infectados com covid-19. Dos 2060 casos de infecção há 201 pessoas internadas - 47 estão em unidades de cuidados intensivos.

Apoio psicológico e domiciliário

Correia Pinto, que deu positivo a 19 de Março, continua internado no hospital Pedro Hispano, mantendo um quadro clínico estável. Para apoiar os profissionais de saúde que ali trabalham, a autarquia anunciou esta segunda-feira a criação de uma bolsa de alojamento com 100 quartos de forma a disponibilizar locais de descanso e estadia. “É muito importante que os profissionais de saúde estejam concentrados nos serviços que têm que prestar. Se pudermos evitar que façam grandes deslocações e retirar-lhes a preocupação de contágio familiar, julgo que será benéfico para todos”, referiu Taveira Gomes, presidente do Conselho de Administração da Unidade Local de Saúde citado em nota divulgada pela câmara.

A 19 de Março já tinha sido criada uma linha de apoio ao isolamento no município. Do outro lado da linha telefónica (800 210 095) está um grupo de 12 psicólogos a trabalhar desde a Loja do Munícipe para apoiar quem necessitar de apoio psicológico. A funcionar está também um serviço de entrega ao domicílio de bens essenciais, de forma a garantir a que alimentos e medicamentos cheguem a idosos e a grupos vulneráveis à contracção de infecção por covid-19.  

Sugerir correcção