Lisboa fecha a perder 1,9% numa Europa em queda

Praças europeias voltam a apresentar fortes quedas no arranque da semana. Bolsa de Frankfurt, que chegou a perder mais de 4%, encerrou a negociação a ceder 2,10%.

Foto
Incerteza marca o sentimento dos investidores Reuters/GUSTAVO GRAF

Ao arrancar a negociação na manhã desta segunda-feira, a Bolsa de Lisboa voltou a estar em terreno negativo, a cair 3,8% por volta das 8h30, acompanhando o sentimento negativo que se faz sentir nas principais praças europeias, onde as quedas continuam a ser muito acentuadas. A negociação durante o dia acabou, contudo, por atenuar a desvalorização no fecho, para 1,91%, nos 3.600 pontos.

A Bolsa de Frankfurt começou a semana a cair 4,49%, acabando por fechar a sessão com queda de 2,10%. No resto da Europa, Londres encerrou com uma perda de 3,79%, Madrid cedeu 3,31%, Paris caiu 3,32% e Milão desvalorizou 1,o9%.

A trajectória negativa, em reacção às consequências económicas causadas pela propagação do novo coronavírus, segue-se a uma semana em Wall Street que representou para os índices americanos a pior queda semanal desde a crise financeira de 2008/2009.

No PSI-20, das 18 cotadas que integram o principal índice da praça lisboeta, 16 desceram. A Novabase liderou as descidas e perdeu 11,95%, ficando a valer 2,80 euros por acção.

Com as perdas acumuladas nas últimas semanas, o PSI-20 já desvalorizou este ano 29,6%, arrastada pelo sentimento geral que se manifesta nos mercados financeiros associado à incerteza económica causada pela propagação da covid-19 na economia mundial.

Actualizado com fecho das bolsas na Europa

Sugerir correcção