Governo repatria mais de mil passageiros de cruzeiro que atracou em Lisboa

Navio cruzeiro vinha do Brasil com 1338 passageiros a bordo, entre os quais 27 portugueses. Estes serão testados para despistar o novo coronavírus.

,Balsa
Fotogaleria
Miguel Manso
,Carro de tamanho médio
Fotogaleria
Miguel Manso
Fotogaleria
Miguel Manso
Superyacht
Fotogaleria
Miguel Manso
Fotogaleria
Miguel Manso
Fotogaleria
Miguel Manso
,bicicleta de montanha
Fotogaleria
Miguel Manso

Mais de 1330 passageiros de um cruzeiro que acostou esta manhã no porto de Lisboa vão ser repatriados para os países de origem, numa operação conjunta da Direcção-Geral dos Assuntos Consulares, do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e da Direcção-Geral de Saúde, entre outras entidades.

O navio cruzeiro MSC Fantasia transportava 1338 passageiros provenientes do Brasil, incluindo 27 portugueses. Os restantes são provenientes de 38 países (maioritariamente da União Europeia, Reino Unido, Brasil e Austrália), segundo uma nota do Ministério da Administração Interna.

O navio acostou esta manhã no porto de Lisboa e os passageiros foram impedidos de sair até que estejam concluídos “todos os procedimentos previstos para o desembarque, designadamente a autorização por parte da autoridade de saúde”.

Quanto aos portugueses e aos titulares de autorização de residência em Portugal, farão os testes de despistagem do vírus SARS-Cov-2 “ainda esta tarde” de domingo, podendo desembarcar se os resultados forem negativos. A partir de terça-feira, desembarcarão os restantes passageiros do navio para serem escoltados até ao aeroporto Humberto Delgado para voarem de regresso aos seus países de origem.