UEFA alarga prazo do fair-play financeiro devido à pandemia

A entidade que gere o futebol a nível europeu dá uma folga aos clubes.

A UEFA vai dar mais tempo para os clubes provarem que cumprem o fair-play financeiro
Foto
A UEFA vai dar mais tempo para os clubes provarem que cumprem o fair-play financeiro LUSA/JEAN-CHRISTOPHE BOTT

A UEFA vai dar mais tempo e permitir maior margem de manobra aos clubes para poderem cumprir as regras do fair-play financeiro durante o período da pandemia de Covid-19, anunciou nesta quinta-feira o organismo regulador do futebol europeu.

Com o prazo inicial a terminar em 31 de Março, a UEFA adicionou mais um mês para os clubes mostrarem que não têm dívidas pendentes de impostos ou de taxas das transferências e que cumprem todas as regras obrigatórias.

A paralisação do futebol na Europa, devido à pandemia do novo coronavírus, está também a atingir as finanças dos clubes, que durante este período terão quebras acentuadas com receitas de espectadores, direitos televisivos e patrocínios.

O sistema do fair-play financeiro da UEFA monitoriza pelo menos durante três anos as contas de todos os clubes qualificados para a Liga dos Campeões e a Liga Europa.

A mais recente “vitima” deste controlo foi o Manchester City, clube em que alinham os futebolistas portugueses Bernardo Silva e João Cancelo, que, para já, está impedido de disputar as próximas duas edições da Champions, por não ter cumprido as regras impostas pela UEFA.

Sugerir correcção