A Gig Club criou uma rádio online com concertos a partir de casa para se “jogar pelo seguro”

Play it Safe vai transmitir ao vivo uma série de actuações caseiras – e os ouvintes podem mandar uma mensagem se quiserem fazer playlists ou ser anfitriões de programas. A Gig Club apela a que as pessoas “fiquem em casa” e ao mesmo tempo pensem sobre esta “altura complicada” para os músicos do país.

,Rádio na Internet
Foto
A primeira actuação acontecerá este sábado DR

Os concertos são inconformados, não se dão por vencidos com facilidade. Por mais que encerrem as salas de espectáculos, eles encontram soluções. Num momento em que a indústria cultural atravessa um período de incerteza, os acordes e as melodias têm batido às portas das casas dos portugueses – que, por esta altura, reduzem as deslocações ao essencial e tentam fazer frente à propagação do novo coronavírus. Já o vimos, esta terça-feira, com o festival Eu Fico Em Casa, que se estende até domingo e tem trazido, através das redes sociais, actuações de meia hora por parte de Bárbara Tinoco, Boss AC, David Fonseca ou Samuel Úria, entre outros. Agora, a promotora Gig Club decidiu elevar a fasquia, criando uma plataforma que nos recomenda a “jogar pelo seguro”.

A Play it Safe é uma rádio online desenvolvida especificamente para acolher os concertos que, não podendo realizar-se em palcos, se fazem nas casas dos artistas antes de chegarem às dos ouvintes. A partir do dia 21, vão acontecer apresentações de nomes como Alex D’Alva Teixeira, Best Youth, Filipe Sambado, First Breath After Coma, Homem em Catarse, Joana Espadinha, Luca Argel, Luís Severo, Noiserv, Surma, Tape Junk, The Legendary Tigerman, The Twist Connection, Valter Lobo ou Whales – algumas das quais podem vir a ser transmitidas também em formato vídeo, nas redes sociais –, por exemplo. Ao mesmo tempo, também há direito a programas com curadorias especiais. Serão os casos das playlists feitas pelos artistas, como Diogo Alves Pinto e Catarina Valadas, ou, ainda, a de Hugo Ferreira, fundador da Omnichord Records, editora que é também uma das parceiras da iniciativa.

Ao mesmo tempo que a Play it Safe apela a que as pessoas “fiquem em casa”, a Gig Club também quer que a população pense sobre esta “altura complicada” para os músicos do país, “que estão sem trabalho provavelmente nos próximos meses, com muitos concertos desmarcados”, conta João Afonso, da promotora, à Lusa. “Hoje em dia”, continua, “as vendas de discos estão muito em baixo”, isto quando não são “praticamente inexistentes”. Também reduzidos são “os ganhos do streaming”, pelo que “é da música ao vivo que os artistas normalmente vivem”. Sensível a esta questão, a rádio online inclui links para os espaços que as diferentes bandas já associadas ao projecto têm na plataforma Bandcamp e a possibilidade de os ouvintes fazerem donativos.

Os ouvintes podem igualmente preencher um formulário se tiverem sugestões de bandas que gostavam de ver contempladas na agenda de concertos caseiros da rádio, e, se quiserem criar playlists, ser anfitriões de programas ou “ajudar o projecto de qualquer outra forma”, têm à disposição um fórum de mensagens através do qual conseguem contactar a equipa da Gig Club. Para já, são mais de 30 as bandas inscritas, mas esse número, esclarece a promotora, ainda pode aumentar. Os concertos, que, em muitos casos, ainda aguardam agendamento, foram inicialmente pensados até 19 de Abril, mas, salienta João Afonso, não é carta fora do baralho as actuações continuarem depois dessa data. Até porque, “pelo andar das coisas, isto ainda vai durar mais tempo”.

A Play it Safe pode ser ouvida aqui.