Candidatura do Culto de Nossa Senhora da Nazaré já está na Comissão Nacional da UNESCO

Dossier de candidatura foi entregue na sexta-feira e será agora avaliado pela secção portuguesa deste órgão das Nações Unidas para a Educação e Cultura. Promotores estimam que a decisão final no plano internacional seja conhecida antes do final de 2022.

Foto
DAVID CLIFFORD/ARQUIVO

A proposta de candidatura do Culto de Nossa Senhora da Nazaré a Património Cultural Imaterial da Humanidade foi entregue à Comissão Nacional da UNESCO, divulgou esta terça-feira a Câmara da Nazaré, promotora da candidatura.

A proposta incide nas Práticas e Manifestações do Culto a Nossa Senhora da Nazaré, reunidas num dossier entregue na última sexta-feira, dia 13, à Comissão Nacional da Unesco, e será agora sujeita a "um longo e complexo processo de avaliação, com várias etapas”, divulgou a autarquia do distrito de Leiria.

O documento entregue à representação nacional desde órgão das Nações Unidas “resulta do intenso trabalho de investigação e promoção desta tradição”, desenvolvido ao longo do último ano pela IPI Consulting Network.

O dossier de candidatura vai ser sujeito a uma pré-avaliação pela Comissão Nacional da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO, na sigla inglesa) e, depois, os promotores esperam que “a candidatura seja encaminhada para avaliação final pela UNESCO”, refere a autarquia num comunicado enviado às redacções.

A candidatura é promovida pela Câmara da Nazaré com o apoio de entidades associadas a este culto religioso, particularmente a Confraria de Nossa Senhora da Nazaré e a Paróquia da Pederneira-Nazaré.

O processo arrancou no início deste ano com a entrega à Direcção-Geral do Património Cultural de um pedido de inscrição no inventário nacional do património cultural imaterial, sem o qual não se poderia avançar com a proposta à UNESCO.

A par da entrega da candidatura, os promotores efectuaram já um plano de salvaguarda daquele culto mariano e desenvolveram ao longo do último ano várias actividades ligadas às práticas realizadas em vários países do mundo.

A autarquia promoveu ainda a criação de uma rede de comunidades devotas, que já inclui comunidades de Portugal e do Brasil, e que deverá ser alargada a Angola, São Tomé e Príncipe ou mesmo ao Suriname e à Guiana Francesa, entre outros, onde a tradição de Nossa Senhora da Nazaré também chegou, refere o comunicado.

No âmbito da candidatura estão previstas diversas acções, entre as quais a revitalização de antigos círios portugueses, a geminação com locais onde o culto assume importância significativa, a inserção nas rotas marianas internacionais e a edição de publicações sobre o culto e a implementação de uma carta de princípios vinculando todas as comunidades da rede.

A expectativa dos promotores é de que a decisão final da UNESCO seja conhecida antes do final de 2022.

Sugerir correcção