Coronavírus

Site de apoio ao ensino à distância, para que os alunos continuem a aprender

Recursos disponibilizados pela Direção-Geral da Educação, em articulação com a Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional, como alternativa às atividades presenciais nas escolas, entretanto suspensas devido ao Covid-19.

Escola
Foto
Daniel Rocha

“Perto ou longe, a Educação é um direito!” Está dado o mote para que o encerramento das escolas, em consequência do surto do novo coronavírus, não implique também a suspensão dos processos de ensino e aprendizagem. Um novo site, com um conjunto de recursos para apoiar as escolas na utilização de metodologias de ensino à distância, acaba de ser lançado pela Direção-Geral da Educação (DGE), em colaboração com a Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP). Permitir que todas as crianças e jovens mantenham contacto regular com os seus professores e colegas, desenvolver novas aprendizagens e consolidar as já adquiridas são os principais objetivos deste apoio, que vai ao encontro das 10 recomendações que a UNESCO divulgou sobre o ensino à distância, no âmbito do encerramento de muitas escolas em vários países.

Navegando pelo site encontram-se sugestões e apoio a diversas atividades, como a realização de um trabalho em colaboração com os pais/encarregados de educação, a execução de alguns movimentos básicos de atividade física, a concretização de uma aula invertida; recursos gratuitos como acesso direto a plataformas de educação — Escola Virtual, Leya Educação, Escola Mágica, Khan Academy, Ensino RTP; ferramentas de interação, de comunicação e de produtividade como Zoom, Google Duo, Paddle, entre várias outras. Plano Individual de Trabalho, sessões coletivas, exposição e divulgação de trabalhos são algumas das sugestões de metodologias que podem ser usadas pelo professor na planificação das suas aulas em regime de ensino à distância.

No início do site são apresentadas algumas recomendações às escolas no sentido de manterem o contacto diário com os alunos e de iniciarem uma dinâmica em que, gradualmente, poderão introduzir processos e ferramentas mais complexas de interação e de adoção de soluções adequadas aos estudantes, “soluções que utilizem processos simples e não exigentes de muita tecnologia, largura de banda ou elevadas competências digitais dos utilizadores”.

Simultaneamente é feito um apelo aos Centros de Formação de Professores e às escolas para a criação de equipas de apoio aos docentes menos familiarizados com estes recursos tecnológicos de ensino à distância, assim como às autarquias, no sentido de agilizarem o acesso de todos os alunos à internet.

site estará em constante atualização, contando com a partilha de sugestões, de recursos e de práticas, que pode ser feita por aqui.

A DGE irá também disponibilizar, em breve, um curso sobre metodologias de ensino a distância.

Sugerir correcção