“Novo rumo” dá lucro de 29 milhões aos CTT

Os resultados líquidos dos CTT subiram 35,8% em 2019. As receitas também cresceram e a empresa atribui a evolução à substituição de Francisco Lacerda por João Bento na liderança da equipa de gestão.

Foto
Os CTT são liderados por João Bento Ricardo Lopes

O resultado líquido dos CTT atingiu 29,2 milhões de euros em 2019, aumentando 35,8% face ao valor registado em 2018O ano que passou ficou marcado pela mudança na cúpula da empresa: em Maio, Francisco Lacerda renunciou à presidência executiva, dando lugar a João Bento. 

Na apresentação divulgada esta segunda-feira, a empresa não deixa passar esse detalhe em branco: em 2019“ano de transição”, as “alterações na liderança [deram] um impulso e um novo rumo à empresa”. 

As receitas geradas pela actividade do grupo subiram 4,6% em 2019 face a 2018, atingindo 740 milhões de euros, enquanto o lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (EBITDA) aumentou 12,2% face a 2018, para 101,5 milhões. 

Segundo a empresaos resultados deveram-se essencialmente ao crescimento da actividade no sector financeiro: Banco CTT, que incorporou a empresa 321 Crédito, vocacionada para o crédito automóvel, e a área de serviços financeiros (principalmente seguros e subscrição de produtos de poupança do Estado). 

Os proveitos gerados por estas actividades totalizaram 97 milhões: foram de 62,9 milhões de euros para o Banco CTT (mais 87%, graças à incorporaçãono ano passadoda 321 Créditoe de 34,1 milhões para os serviços financeiros (mais 27,2%). Esta evolução ajudou a compensar a quebra de 2,1% das receitas provenientes do sector postal, que ficaram nos 485 milhões de euros. 

O negócio de correio expresso e encomendas também acelerou em 2019: os rendimentos aumentaram 2,4%, para 152,4 milhões de euros. 

Esta performance é a prova de que os CTT estão a seguir a estratégia acertada, diversificando as áreas de negócio e sem perder de vista o correio tradicional”, lê-se no comunicado que se seguiu à apresentação de resultados que, desta vez, não foi feita em conferência de imprensa, devido à crise da covid-19. 

O aumento dos lucros em 2019 dá também direito ao aumento do dividendo pago aos accionistas: a empresa vai propor à assembleia-geral um dividendo de 11 cêntimos por acção, mais 10% face a 2018. Para Manuel Champalimaud, que é o maior accionista da empresa, com 13,08% do capital, o cheque será de 2,158 milhões.

Optimismo para 2020

Embora esta segunda-feira tenham anunciado o encerramento de alguns balcões e admitido reajustes à actividade operacional por causa dos efeitos da actual crise de saúde pública, os CTT estão optimistas para 2020.

Apesar da queda prevista no correio tradicionalestimamos um crescimento nos rendimentos operacionais em 2020”, refere a empresa, explicando que parte do optimismo assenta na performance da 321 Crédito, que tem actualmente uma quota de mercado de 11,8% no segmento de crédito auto usados. 

Por outro lado, e apesar de disrupção que está a ser criada na actividade económica pela pandemia de covid-19, cujos impactos são “ainda de difícil estimativa”, os CTT mostram-se confiantes quanto à evolução do negócio de entrega de encomendas.

Em Dezembro, a espanhola Tourline foi integrada na empresa CTT Expresso como uma sucursal em Espanha e tem uma nova equipa de gestão focada em melhorar o seu modelo operativo”. Num mercadonde o e-commerce é cada vez mais representativo”, a CTT Expresso quer ser um operador de referência ibérico, especialmente nos fluxos transfronteiriços”. 

“Salvo os impactos que resultarem da crise associada à pandemia”, a expectativa é a de um “EBITDA superior ou igual a 110 milhões de euros em 2020”, referem. 

A empresa sublinha ainda que tem em curso o plano de reabertura de estações nos municípios - faltam ainda 27, de um total de 33 que foram encerradas – e anuncia “formalmente a sua intenção de ser o novo concessionário do serviço [postal] universal, de um contrato de concessão mais sustentável”. 

actual contrato de concessão termina no final deste ano e o ministro das Infra-estruturas já anunciou que está pronto para renegociar o próximo com os CTT. 

Sobre o Banco CTT, a empresa revela que terminou o ano com mais 113 mil contas abertas do que no final de 2018, num total de 461 mil contas. Os depósitos de clientes subiram para 128milhões de euros (mais 45,2%) e a carteira de crédito habitação líquida de imparidades atingiu 405,1 milhões de euros (mais 69,9%).

O exercício que passou também ficou marcado por um aumento de gastos operacionais de 21,2 milhões (mais 3,4%) para 639 milhões, incluindo um impacto de cerca de 8 milhões da 321 Crédito. 

A empresa diz ainda que investiu 45 milhões (48,2%) na modernização da operação, destacando a instalação de novas e mais eficientes máquinas de separação” de correio. Este ano prevê investir 40 milhões de euros.