Porto Editora e Leya com aulas gratuitas para todos

Professores e alunos podem aceder gratuitamente às plataformas digitais da Escola Virtual e Aula Digital das duas editoras.

Unsplash
Foto
Nestas plataformas, com materiais do 1.º ao 12.º anos, os professores podem criar as suas turmas John Schnobrich/Unsplash

Após a decisão do Governo de encerrar as escolas a partir da próxima segunda-feira, a Porto Editora decidiu dar acesso gratuito, a professores e alunos, à sua plataforma de ensino à distância, a Escola Virtual. Também durante a tarde de quinta-feira, a Leya informou os professores da gratuitidade de um serviço que habitualmente é pago, a Aula Digital.

Estas são medidas excepcionais para “uma situação excepcional, que nos desafia enquanto sociedade a encontrar soluções”, declara Vasco Teixeira, administrador da Porto Editora, acrescentando que o fecho das escolas pode levar a um grau de ansiedade por parte de professores e alunos. “É isso que queremos diluir com esta iniciativa” de dar acesso gratuito a todos.

No caso da Leya, mesmo que os livros adoptados pelas escolas sejam da concorrência, quer docentes quer discentes terão acesso aos recursos oferecidos, diz a editora em comunicado.

Nestas plataformas, com materiais do 1.º ao 12.º anos, os professores podem criar as suas turmas, onde partilham os conteúdos das suas disciplinas produzidos pelas editoras, ou mesmo, no caso da Porto Editora, conteúdos próprios, feitos pelos docentes.

Além das versões digitais dos manuais, os alunos podem ver vídeos, animações e resumos da matéria, ou mesmo fazer testes interactivos, refere a Leya.

Enquanto não for retomada a normalidade nas escolas, a Porto Editora vai manter a Escola Virtual aberta para todos (numa situação normal, esta tem uma anuidade de 79,99 euros). Para entrar, é preciso que os interessados façam um registo onde assinalam o nome da escola e o ano de escolaridade. A partir daí terão acesso aos conteúdos, versões digitais dos manuais e outros recursos.

A Escola Virtual, que actualmente chega a 200 mil alunos, mas está a preparar-se para abranger os 1,5 milhões que estarão em casa nas próximas semanas, tem uma equipa disponível para dar apoio, assim como criou vídeos com as funcionalidades da plataforma para auxiliar os professores. A Leya não sabe precisar o número de clientes a que chega a plataforma, mas avança que são “centenas de milhares de usuários” — os preços variam entre os 39,90 e os 69,99 euros, mas agora os interessados podem registar-se e usá-la gratuitamente.

Apesar destas propostas das editoras, as associações de directores já alertaram para o facto de o ensino à distância não ser para todos, uma vez que nem todos os estudantes têm acesso a equipamentostablets, portáteis ou mesmo smartphones – nem em, alguns casos, à Internet.