Nuno Ferreira Santos
Foto
Nuno Ferreira Santos

Greve Climática de 13 de Março cancelada devido ao coronavírus

A organização do movimento em Portugal anunciou o cancelamento das manifestações marcadas por todo o país para a próxima sexta-feira, 13 de Março, devido ao surto de coronavírus. Os activistas escreveram na página de Facebook que vão “continuar a agir”, adaptando-se às circunstâncias.

A Greve Climática, marcada para a próxima sexta-feira, 13 de Março, foi cancelada devido ao surto de coronavírus. A organização anunciou o cancelamento das concentrações marcadas para todo o país através da página de Facebook: “No contexto dos últimos acontecimentos relacionados ao novo coronavírus, e a saber de nossa responsabilidade social para com a saúde pública, [a Greve Climática Estudantil] informa que as manifestações marcadas para a próxima sexta-feira (13) não serão realizadas”, escreveram.

A decisão foi tomada depois de esta quarta-feira, 11 de Março, Greta Thunberg ter feito uma publicação no Instagram onde sugeria que as manifestações marcadas para todo o mundo fossem substituídas por um protesto online, através das hashtags #DigitalStrike e #ClimateStrikeOnline. “Vamos manter os números baixos e os espíritos altos”, escreveu a activista.

E, à semelhança do que a sueca escreveu, também os organizadores da Greve Climática Estudantil citaram os cientistas: “Ouvimos a ciência e os especialistas e, apesar de sabermos que os jovens são os menos afectados por este vírus, reconhecemos a importância de agirmos em solidariedade com aqueles que são mais vulneráveis.”

Os activistas climáticos continuaram a publicação alertando para a crise climática — sem descurar a importância do novo coronavírus — e deixaram algumas questões: “Mas e se tratássemos a crise climática como tratamos o coronavírus? E se, constantemente, estivéssemos a receber notícias ao minuto das catástrofes que se continuam a desenrolar de uma ponta à outra do mundo? E se as políticas governamentais fossem vistas e dissecadas sobre o prisma da crise climática, tal como está a acontecer com a nova epidemia?”

Na publicação, os activistas traçam uma comparação entre a epidemia e a crise climática, referindo que o vírus — que dizem ser “uma amostra do que será a crise climática se baixarmos os braços” — é “mais fácil de ser encarado como uma crise devido à sua proximidade imediata e real à população”, enquanto a crise climática é “enfrentada como algo distante temporal e geograficamente”. 

Mais de 20 localidades do país tinham confirmado adesão à greve, que fica agora adiada, sem nova data anunciada. Ainda assim, sem desvendar, os organizadores afirmam que no próximo dia 13 de Março vão “continuar a agir”, adaptando-se “às circunstâncias”. 

Descarregue a app do PÚBLICO, subscreva as nossas notificações e esteja a par da evolução do novo coronavírus.

https://www.publico.pt/apps