Coronavírus: Ryanair pede a cidadãos portugueses em Itália que contactem companhia

Até sexta-feira, a empresa efectua a “maioria” dos seus voos de e para Itália. Depois, pára.

,Transportadora de baixo custo
Foto
Reuters/Regis Duvignau

Enquanto Portugal suspendeu todos os voos para a Itália, a Ryanair cancelou todos os voos domésticos no país a partir desta quarta-feira e todos os voos de e para o país a partir de 13 de Março. 

“Agradecemos que se informem os cidadãos portugueses que se encontram actualmente em Itália para entrar em contacto com o Serviço de Apoio ao Cliente da Ryanair para procurar uma rota alternativa de regresso”, avançou a empresa em comunicado, também publicado no Portal das Comunidades Portuguesas, do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

A Ryanair, sublinha o mesmo texto, “continua a realizar a maioria dos seus voos internacionais de e para Itália até sexta-feira”.

Todos os passageiros que “reservaram voos na Ryanair para o período de 13 de Março a 8 de Abril” foram “contactados para alterar a reserva para um voo anterior em caso de necessidade de regresso”.

A empresa permite que os passageiros peçam a alteração das viagens que já marcaram (de forma gratuita), com reembolso total do valor gasto nas viagens ou um crédito a usar “nos próximos 12 meses”. Ninguém paga diferenças tarifárias entre um bilhete e outro.

Outras companhias têm procedimentos similares, caso da TAP, que deixou de cobrar por alterações a voos, excepto na tarifa mais barata. Esta excepção aplica-se a bilhetes comprados entre 8 e 31 de Março, mas deixa de fora a tarifa discount.  Na TAP, “as diferenças tarifárias serão aplicáveis” — isto é, se o voo que quiser marcar tiver um preço mais elevado terá de pagar a diferença.

Sugerir correcção