Superior soma quase 5500 alunos ao abrigo do Estatuto do Estudante Internacional

A esmagadora maioria dos estudantes estrangeiros que entram ao abrigo do Estatuto do Estudante Internacional optou pelas instituições públicas. Lei criada há seis anos permite cobrar propinas que variam entre os dois e os sete mil euros anuais.

Foto
Rui Gaudêncio

O aumento em cerca de 38% dos alunos estrangeiros inscritos nas instituições de ensino superior portuguesas ao abrigo do Estatuto do Estudante Internacional é uma boa notícia para o ministro do Ensino Superior, Manuel Heitor. As novas regras para a entrada de estrangeiros no ensino superior, criadas há seis anos, permitiram um acréscimo de 5477 novos estudantes nas universidades e politécnicos portugueses.