Coronavírus: há 14 militares em período de quarentena

Nenhum deu positivo nos testes e não há casos dos intregrados nos contingentes das Forças Nacionais Destacadas.

Miguel Cardoso
Foto
João Gomes Cravinho garantiu monitorização diária das Forças Armadas Nuno Ferreira Santos

Catorze militares estão em período de quarentena devido ao surto epidemiológico do coronavírus, revelou na tarde desta terça-feira, no Parlamento, o ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho

“Nenhum dos que está de quarentena deu positivo nos testes”, precisou o titular da pasta perante os deputados da comissão parlamentar de Defesa Nacional.

“O que se está a passar no ambiente das Forças Armadas é a monitorização diária da situação, o mesmo acontece no Estado-Maior General das Forças Armadas, nos três ramos e no Ministério da Defesa”, explicou Gomes Cravinho aos deputados.

A uma pergunta da parlamentar Ana Miguel Santos, do PSD, concretizou que os militares e o pessoal civil do Ministério da Defesa seguem as directivas comunicadas pela Direcção-Geral da Saúde.

Pelo que, dada a presente situação do surto de covid-19, o ministro decidiu adiar os dias de Defesa Nacional previstos, envolvendo 6700 jovens. O adiamento, nesta primeira fase, é de dez dias.

João Gomes Cravinho anunciou que, até ao momento, não há casos de coronavírus nas Forças Nacionais Destacadas em vários cenários, obedecendo aos compromissos internacionais do Estado, e revelou que no Hospital das Forças Armadas do Porto estarão concluídas esta semana a reabilitação de salas, num total de 17 camas. Estando, igualmente, previstas áreas complementares de internamento em tendas de campanha. Por outro lado, anunciou que o Exército já contabilizou nas suas unidades de saúde, até 58 camas para o internamento de civis que estejam infectados. 

Sobre a missão dos militares portugueses presentes no Iraque, e que esteve em reapreciação após o assassinato no início de Janeiro pelos Estados Unidos do general iraniano Qassem Soleimani, comandante da Força al-Quds, Gomes Cravinho revelou que retomaram a missão.

“Retomaram a missão de formação do curso do Estado-Maior, já fizeram um para a Polícia do Iraque e outro começa no dia 15 de Março”, calendarizou. “Estão numa base militar que não é considerada difícil”, destacou.