Torne-se perito

Coronavírus. Ryanair suspende todos os voos de e para Itália até Abril

Os passageiros podem pedir a alteração das viagens que já marcaram (de forma gratuita), um reembolso total do valor gasto nas viagens ou um crédito a usar “nos próximos 12 meses”.

,Boeing 757
Foto
Ryanair Reuters/Tony Gentile

A Ryanair anunciou a suspensão dos voos com partida ou destino em Itália “depois de o Governo italiano restringir as viagens em todo o país para conter a propagação da covid-19”, lê-se num comunicado da empresa enviado às redacções. A suspensão será aplicada até dia 8 de Abril.

A partir de 11 de Março, até 8 de Abril estão cancelados todos os voos da companhia aérea low cost “dentro do território italiano”. A partir de 13 de Março e até à mesma data é a vez dos voos internacionais serem suspensos.

“Os passageiros que necessitam regressar aos seus países poderão solicitar uma alteração gratuita para um dos voos Ryanair programados até às 00h de 13 de Março”, continua o comunicado. Quem não quiser alterar, pode pedir um reembolso total ou um crédito de viagem que poderá usar “nos próximos 12 meses”.

Os passageiros afectados pelos cancelamentos de voos estão a ser avisados por e-mail “e estão a receber transferências de voos, reembolsos totais ou créditos de viagem”, garante a companhia aérea.

“A Ryanair lamenta as interrupções na sua programação, provocadas por restrições governamentais e pela decisão do Governo italiano de restringir as viagens em todo o país para conter a propagação da covid-19”, lê-se no comunicado. 

Também nesta terça-feira, a TAP anunciou que ia passar a permitir a “possibilidade de reagendamento do seu voo sem o pagamento da taxa de alteração associada (excepto para tap discount) para bilhetes emitidos entre os dias 8 e 31 de Março, devido à covid-19, que já fez cancelar voos por toda a Europa.

Se viajar para Itália, tenha atenção que todo o país foi posto de quarentena na segunda-feira à noite. As companhias aéreas estão também a cancelar e limitar os voos de e para o país, enquanto o Governo português decidiu, entretanto, suspender os voos com destino ou origem nas zonas mais afectadas pela epidemia. 

No portal das comunidades do Governo português, aconselha-se a evitar qualquer viagem a áreas afectadas em Itália “devendo os cidadãos que se encontrem em viagem nessas áreas manter-se informados acerca da evolução da situação, tomando as medidas de precaução e segurança que se revelem adequadas, incluindo, sendo possível, a saída rápida das zonas enunciadas”. O atendimento consular poderá estar comprometido: a “Embaixada em Roma e os consulados honorários em Itália, poderão ver-se obrigados a reduzir o atendimento consular”, lê-se na mesma nota.

Sugerir correcção