Santuário Fatima Masumeh, Irão

O antes e depois das (agora) cidades-fantasma por culpa do coronavírus

As ruas de todo o mundo esvaziam-se. O surto de coronavírus tem levado milhares de pessoas a isolarem-se, escolas a fechar, países a paralisar. As imagens mostram como eram os espaços públicos antes do medo da covid-19.

Os espaços públicos de todo o mundo estão cada vez mais vazios. A culpa é da covid-19. O novo coronavírus, que começou a dar sinais em Dezembro de 2019, em Wuhan, na China, rapidamente se espalhou pelo resto do mundo e está a provocar uma onda de pânico.

Aeroporto de Teerão, Irão

As imagens de satélite, divulgadas pela Reuters, mostram como da China ao Irão, passando pelo Japão ou por Itália, as ruas têm vindo a ficar cada vez mais desertas.

Disneyland Tóquio, Japão

Pouco mais de duas semanas separam as imagens da Grande Mesquita de Meca, na Arábia Saudita. A primeira foi captada a 14 de Fevereiro de 2020, a segunda a 4 de Março. O curto espaço de tempo é suficiente para mostrar a diminuição de afluência àquele que é considerado o maior centro de peregrinação do mundo. 

Grande Mesquita de Meca, Arábia Saudita

Em Wuhan, não há movimento nos aeroportos ou estradas. A província chinesa onde o novo coronavírus apareceu parece ter-se tornado numa cidade-fantasma: em Fevereiro, algumas imagens já mostravam como a cidade vivia entre o isolamento e a normalidade.

Aeroporto de Wuhan, China
Portagem em Wuhan, China

O hospital chinês Huoshenshan, construído em menos de 10 dias para dar resposta aos crescentes casos de coronavírus do país, também figura nas imagens de satélite. Com mais de mil camas, o hospital reúne, de acordo com a agência de notícias estatal chinesa Xinhua, recursos médicos para fornecer tratamento isolado e eficiente a pacientes infectados.

Praça de Tiananmen, China

Milão, uma das primeiras cidades europeias a ser contagiadas pelo novo coronavírus, também se tem vindo a transformar num cenário deserto. Desde o início do surto, já se contabilizaram mais de 7000 casos confirmados e 266 mortes. O governo italiano decidiu, na passada quarta-feira, 4 de Março, encerrar todas as escolas e universidades do país até 15 de Março.

Catedral de Milão, Itália

Nos restantes países afectados pelo vírus, incluindo Portugal, que regista 31 casos de infecção, também tem sido assim: escolas encerradas, eventos e viagens canceladas, jogos à porta fechada, visitas de hospitais suspensas, economias paralisadas. O mundo está a parar devido ao surto do vírus, que já provocou mais de 3800 mortes, num cenário de mais de 110 mil infectados — mas cerca de 60 mil já recuperaram.

Hospital Huoshenshan, China

Descarregue a app do PÚBLICO, subscreva as nossas notificações e esteja a par da evolução do novo coronavírus: https://www.publico.pt/apps

Sugerir correcção