Terá o poder de facto na Guiné-Bissau “condições para desafiar o mundo”?

Reacção de Governo de Nuno Nabiam levou ao cancelamento da missão internacional da CEDEAO, “mau sinal de quebra de uma relação” com a única organização que tem sido capaz de resolver impasses no país, diz analista.

,José Mário Vaz
Foto
O primeiro-ministro, Nuno Nabiam, nomeado pelo autoproclamado Presidente, Sissoco Embaló Reuters

A missão internacional da Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO), mandatada pelo conselho de segurança das Nações Unidas, que esta segunda-feira deveria ter chegado a Bissau para resolver a crise política pós-eleitoral, acabou por ser cancelada, depois de um comunicado hostil do Governo nomeado pelo autoproclamado Presidente, Umaro Sissoco Embaló.