Canceladas visitas turísticas a todos os espaços da Universidade de Évora

Até pelo menos ao final do mês, não há visita ao Colégio do Espírito Santo e Centro Interactivo de Arqueologia.

Universidade de Évora
Foto
Universidade de Évora fecha-se a turistas e limita actividades Nuno Ferreira Santos

A Universidade de Évora anunciou o cancelamento, até dia 30, das visitas turísticas ao Colégio do Espírito Santo e ao Centro Interactivo de Arqueologia, ao abrigo do plano de contingência para prevenção do novo coronavírus.

“O plano foi hoje aprovado pelo grupo de trabalho constituído para acompanhamento desta situação do novo coronavírus e vai ser também disponibilizada uma versão em inglês para informar os alunos estrangeiros”, revelou à Lusa a reitora da academia alentejana, Ana Costa Freitas.

A reitora explicou que o Colégio do Espírito Santo, o principal edifício da universidade, e o Centro Interactivo de Arqueologia, no Palácio do Vimioso, “estão fechados para turistas” de 9 a 30 deste mês.

“Decidimos cancelar as visitas turísticas e, como estas estão incluídas no bilhete único” da Rede de Museus de Évora, o Évora Ticket, que garante a entrada em diversos espaços museológicos locais, “tivemos de avisar a Turismo do Alentejo”, entidade coordenadora do projecto, sublinhou.

No âmbito do plano de contingência, a universidade decidiu também adiar todos os eventos marcados para os espaços da universidade, até dia 22 deste mês, como debates ou conferências.

“No dia 16, voltamos a reunir e vamos fazer nova avaliação da situação e uma actualização destas medidas”, disse a reitora, salientando que a instituição “já dispõe de salas de isolamento” nos seus “vários edifícios”. Segundo Ana Costa Freitas, ainda não foi necessário fechar nada, nem cantinas, nem bibliotecas, tendo já sido “distribuído desinfectante” e implementadas “regras de higiene”. “Os serviços da universidade vão fazer a higiene nos corrimões de escadas, nas maçanetas e, depois, é pedido a cada pessoa que trate do seu espaço de trabalho”, com “o desinfectante distribuído”, indicou.

  • Descarregue a app do PÚBLICO, subscreva as notificações e esteja a par da evolução do novo coronavíruspublico.pt/apps
Sugerir correcção