Coronavírus: BCE pede a 3700 funcionários que fiquem em casa durante um dia

Banco Central Europeu testa plano de emergência na próxima segunda-feira e espera que nenhum trabalhador vá à sede, em Frankfurt.

,Banco Central Europeu
Foto
Reuters/Kai Pfaffenbach

O Banco Central Europeu (BCE) vai funcionar em regime de teletrabalho na segunda-feira, 9 de Março, de forma a testar os planos de emergência preparados para enfrentar o surto do novo coronavírus, foi hoje conhecido.

De acordo com os planos da instituição, confirmados pela agência AFP, os cerca de 3700 funcionários do BCE, sediado em Frankfurt, na Alemanha, laborarão em regime de teletrabalho para testar os planos de emergência da instituição, no caso de ser necessário o confinamento devido à epidemia de covid-19 (provocada pelo vírus SARS-CoV-2)​.

A medida, que permitirá nomeadamente colocar à prova as infra-estruturas informáticas do banco central, foi decidida em nome do “princípio da precaução”, explicou uma porta-voz do BCE à agência France-Presse, confirmando informações divulgadas hoje pelo jornal alemão Börsen-Zeitung.

O acesso aos edifícios sede não será interdito, mas o BCE espera que uma grande maioria dos funcionários siga as recomendações e participe no teste, que inclui as salas de mercados e os empregados responsáveis pelos sistemas de pagamentos europeus.

Assim, a sede do BCE, uma torre de vidro no leste de Frankfurt, onde trabalham cerca de três mil pessoas, e o edifício do Mecanismo Único de Supervisão, no centro da cidade, estarão largamente desertos.

Na quarta-feira, a instituição presidida por Christine Lagarde já tinha anunciado restrições às viagens não essenciais dos seus funcionários e dos membros da direcção.

Na próxima quinta-feira, realizam-se a reunião de política monetária e a respectiva conferência de imprensa, depois da Reserva Federal dos EUA ter baixado as taxas de juro em 0,5 pontos percentuais para combater a epidemia de covid-19.

  • Descarregue a app do PÚBLICO, subscreva as nossas notificações e esteja a par da evolução do novo coronavírus: https://www.publico.pt/apps
Sugerir correcção