Coronavírus: federação italiana admite suspender Serie A em definitivo

A medida será tomada se surgirem jogadores infectados pelo covid-19, disse o presidente Gabriele Gravina.

Cristiano Ronaldo pode ficar sem competir em Itália
Foto
Cristiano Ronaldo pode ficar sem competir em Itália Reuters/MASSIMO PINCA

A Federação de Futebol Italiana (FIGC) admite suspender definitivamente a Serie A, o principal escalão do futebol transalpino, caso haja jogadores infectados pelo novo coronavírus, disse neste sábado o presidente Gabriele Gravina.

“Temos de ser realistas, o risco de que haja futebolistas contagiados existe e tomaremos as medidas necessárias para apoiar os atletas, tentando entender que impacto teriam estas precauções na actividade desportiva”, afirmou Gravina, em entrevista à televisão estatal RAI. E acrescentou: “Não podemos excluir [a suspensão da Serie A], nem atrevermo-nos com hipóteses que não podemos prever”.

Itália é o país europeu mais afectado pela epidemia e, depois de terem sido adiados quatro jogos da 25.ª jornada e seis da 26.ª, a FIGC e a Liga da Serie A aprovaram jogar as partidas do campeonato italiano à porta fechada, pelo menos, até 3 de Abril. Isto, depois de o governo italiano ter aprovado a 04 de Março um decreto que estipula que todas as competições desportivas sejam disputadas sem público até ao princípio de Abril.

O país registou 1247 novos casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, um aumento que mostra que o ritmo do contágio ainda não começou a abrandar: o total está este sábado em 5883. Depois de duas semanas de surto, o SARS-COV-2 espalhou-se pelas 20 regiões: todas registam casos e oito tiveram vítimas mortais.

As mortes devido a covid-19 subiram para 233 e há 567 doentes nos cuidados intensivos. Do total de 5883 infectados, 589 já tiveram alta

  • Descarregue a app do PÚBLICO, subscreva as nossas notificações e esteja a par da evolução do novo coronavírus: https://www.publico.pt/apps
Sugerir correcção