Golpe na Guiné-Bissau é uma “nova investida narcomilitar”

O candidato presidencial do PAIGC escreveu no Twitter que o povo guineense “assiste impotente” a uma acção instigada pelo tráfico de droga. Também Idriça Djalo afirma que o dinheiro do narcotráfico é “reciclado” na “batalha política”.

O general António Indjai, líder do golpe militar de 2012
Foto
O general António Indjai, líder do golpe militar de 2012 REUTERS/Joe Penney

Domingos Simões Pereira denunciou esta quinta-feira no Twitter a violência do Presidente Umaro Sissoco Embaló e do Governo golpista de Nuno Nabiam e acusou-os de estarem ligados ao narcotráfico. O candidato à presidência lamenta que, mais uma vez, o povo guineense “assiste impotente à nova investida narcomilitar no país”, ao mesmo tempo que o Executivo que saiu das eleições do ano passado é impedido de exercer as suas funções.