Rui Pinto: “Fiz simplesmente o meu dever como cidadão”

Mensagem escrita pelo hacker foi revelada por Ana Gomes no Twitter. Revelações feitas pelo Football Leaks originaram buscas aos maiores clubes do futebol português esta quarta-feira.

,Vazamentos de futebol
Foto
Rui Pinto transmitiu mensagem à ex-eurodeputada Ana Gomes LUSA/RODRIGO ANTUNES

Um dia após as autoridades terem feito buscas aos clubes e empresários do futebol português, Ana Gomes revelou no Twitter uma mensagem que diz ser escrita por Rui Pinto, responsável pelo Football Leaks, site que originou estas investigações.

“Como cidadão fiz simplesmente o meu dever ao ajudar a expor este e outros crimes, e mesmo sabendo de antemão da primitiva perseguição de que os denunciantes em Portugal, voltaria a fazê-lo”, escreve Rui Pinto.

Tudo aponta para que a mensagem tenha sido escrita antes das mais recentes operações das autoridades junto dos clubes de futebol. A ex-eurodeputada iria participar numa conferência sobre corrupção no desporto, que, devido ao surto de coronavírus, teve de ser adiada. Assim, Ana Gomes escolheu partilhar as palavras do hacker no Twitter.

Nesta mensagem, Rui Pinto fala sobre as revelações dos Luanda Leaks, nas quais o português teve implicações directas. “O Luanda Leaks é o exemplo mais recente de que os denunciantes e o jornalismo de investigação são essenciais para a nossa democracia. Durante ambos, e apesar dos constantes alertas de que Portugal se tornara numa plataforma de lavagem de dinheiro da cleptocracia angolana, as autoridades judiciárias e de regulação nada fizeram”, acusa o denunciante.

Os documentos publicados pelo hacker na plataforma Football Leaks relativos à transferência de jogadores por suspeitas de crimes de fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais. A Procuradoria-Geral da República (PGR) esclareceu nesta quarta-feira que, no âmbito da designada Operação Fora de Jogo e cuja investigação está a cargo da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), foram constituídos 47 arguidos (24 pessoas colectivas e 23 pessoas singulares), entre os quais jogadores de futebol, advogados, dirigentes desportivos e agentes ou intermediários. Jorge Mendes é um deles.

As revelações feitas por Rui Pinto já causaram condenações em Espanha: vários futebolistas agenciados pela Gestifute de Jorge Mendes foram obrigados a reembolsar o fisco espanhol, depois de ter sido dado como provado que os jogadores fugiram ao pagamento de impostos. Um desses foi Cristiano Ronaldo: o avançado da Juventus teve de desembolsar 16,7 milhões de euros.

Rui Pinto encontra-se em prisão preventiva desde 22 de Março do ano passado, aguardando o início de julgamento. Inicialmente acusado de 147 crimes pelo Ministério Público, viu o número de delitos reduzido para 90 durante a fase de instrução.