Na Austrália, o papel higiénico está a acabar. A culpa é do novo coronavírus

Nos supermercados australianos, rolos de papel higiénico esgotam em minutos. Algumas cadeias já tiverem de impor um limite por pessoa.

Foto
Tyrone Siu/Reuters

Os australianos estão na corrida ao papel higiénico. Em Sydney, a maior cidade australiana, o stock de papel higiénico nos supermercados esgotou em minutos, obrigando as cadeias a impor um limite de quatro pacotes por pessoa. A situação escalou nas últimas 48 horas e as prateleiras dos supermercados estão a ser esvaziadas a um ritmo sem igual.

Segundo a BBC News, a polícia foi chamada a intervir, nesta quarta-feira, 4 de Março, numa disputa por papel higiénico, onde um dos envolvidos ameaçou o outro com uma faca. Há também registo de pessoas que roubam papel higiénico de casas de banho públicas. O ministro da Saúde australiano, Brendan Murphy, diz que “remover todo o papel higiénico das prateleiras de supermercado não é a coisa mais sensata para fazer nesta altura”.

Nas redes sociais têm sido partilhadas imagens e memes sobre a busca por papel higiénico. No Twitter, as etiquetas #toiletpapergate e #toiletpapercrisis então entre as mais populares. A loucura pelo papel higiénico já motivou leilões online, com pessoas a dar centenas de dólares por rolos de papel. Na rádio, os ouvintes ligam para se habilitarem a sorteios de packs de papel higiénico.

Nikita Garg, professora da Universidade de Nova Gales do Sul, diz que o comportamento dos consumidores pode relacionar-se com o síndrome de FOMO (Fear of Missing Out; ou medo de perder alguma coisa, numa tradução livre para português). O pensamento “Se as pessoas estão a comprar, deve haver uma razão e eu tenho de comprar também” motiva toda a onda de procura pelo produto.

Foto
Na Austrália, as prateleiras dos supermercados já não têm papel higiénico. MARALINDA BOYD/Reuters

Outros especialistas em psicologia do consumidor dizem que o comportamento é provocado pelo foco que os meios de comunicação dão ao tema, “obviamente irracional”. As imagens que têm circulado nas redes sociais só vieram dar mais destaque à situação.

A busca por papel higiénico não é caso único na Austrália. Também nas zonas próximas de Wuhan, cidade chinesa onde surgiu o novo coronavírus, já aconteceram situações semelhantes, nomeadamente em Singapura, no Japão e em Hong Kong. A Austrália registou os primeiros casos de coronavírus logo nas semanas a seguir ao início do surto, mas a situação intensificou-se no final da última semana, após terem sido confirmados novos casos de Covid-19 e de se ter registado a primeira morte. 

Algumas empresas que produzem papel higiénico anunciaram que estão a trabalhar 24 horas para poder corresponder à quantidade procurada pelos consumidores.