Rede 8 de Março convoca greve para o Dia Internacional da Mulher

Uma greve feminista em protesto contra a desigualdade, discriminação e violência. A manifestação está marcada para Amarante, Braga, Coimbra, Évora, Faro, Lisboa, Porto, Viseu, Vila Real e Ponta Delgada. “A nossa luta é para exigir mudanças”, diz a organização.

Foto
ADRIANO MIRANDA

A Rede 8 de Março convocou uma greve feminista nacional para o Dia Internacional da Mulher, no próximo domingo, 8 de Março, em protesto contra as desigualdades, discriminação e violência e para exigir mudanças, anunciou hoje a organização.

A Rede 8 de Março é uma plataforma nacional que reúne colectivos, associações, organizações políticas, sindicatos e pessoas a nível individual e este é o segundo ano em que convocam uma greve feminista. No ano passado, segundo a plataforma, participaram na manifestação 30 mil pessoas.

A Greve Feminista está marcada nas cidades de Amarante, AveiroBraga, Coimbra, Évora, Faro, Lisboa, Porto, Viseu e Vila Real e Ponta Delgada. O encontro está marcado para as 15 horas em todas as localidades, excepto em Coimbra e Ponta Delgada, com início às 16 horas; e em Amarante e Faro, às 17 horas. 

A organização refere que o objectivo é “lutar contra a discriminação, violência e desigualdade que persiste nas ruas, nas escolas, nos locais de trabalho, na justiça e na protecção das vítimas de violência de género”. “Portanto, a nossa luta é para exigir mudanças!”

A Rede 8 de Março justifica a greve salientando que em Portugal “a violência machista mata, em média”, duas mulheres a cada mês. E chama também a atenção do facto de as mulheres representarem 80% dos casos de violência doméstica e serem vítimas de 90,7% de crimes sexuais.

“A nossa convocação vai além de uma greve tradicional — ou seja, laboral —, as nossas reivindicações estendem-se também ao âmbito da reprodução social, à esfera dos cuidados domésticos e familiares, à vida estudantil e à sociedade de consumo”, sublinha a organização.

A plataforma destaca ainda que o que se pretende é unir as mulheres de todas as partes do mundo construindo redes de solidariedade, de apoio e de aprendizagem transnacionais para combater as desigualdades.

Para domingo, já apresentaram pré-aviso de greve o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde, Solidariedade e Segurança Social e o Sindicato de Trabalhadores de Call Center. A plataforma tem também o apoio do Sindicato de Todos os Professores (S.TO.P) e do Sindicato dos Professores do Norte e do Sindicato das Indústrias, Energia e Águas de Portugal.

Actualizado às 11h16 do dia 4 de Março: foi corrigida informação no último parágrafo.