Fesap devolve aumento salarial em mealheiros como forma de protesto

Estrutura sindical faz depender outras formas de contestação aos reduzidos aumentos salariais da evolução do novo coronavírus.

Foto
Rui Gaudencio

A Federação dos Sindicatos da Administração Pública anunciou esta terça-feira um conjunto de acções de protesto a realizar durante o mês de Março que incluem a devolução do aumento salarial decidido pelo Governo.

Além da devolução do dinheiro que resulta da actualização salarial de 0,3%, em porquinhos mealheiro, a Federação dos Sindicatos da Administração Pública (Fesap) vai realizar no dia 19 uma campanha nacional de protesto juntos dos vários serviços da administração pública, de norte a sul do país, apelando para que os participantes nesse dia se vistam de preto e branco, e um plenário nacional de trabalhadores, em Coimbra, no dia 20.

Estas medidas foram anunciadas pelo secretário-geral da Fesap, numa conferência de imprensa realizada em Lisboa, tendo José Abraão precisado que as formas de luta decididas pelo Secretariado Nacional foram condicionadas pela actual situação imposta pelo covid-19.

Depois de colocar num mealheiro os “2,60 euros” de aumento que terá na sequência da actualização salarial de 0,3%, o secretário-geral da Fesap esclareceu que o conjunto de acções de protesto agora delineadas “serão condicionadas pelo evoluir do covid-19”.

José Abraão referiu também que será emitido um pré-aviso de greve para dia 20, não para apelar a uma greve nacional, mas para permitir que os trabalhadores que assim o entendam possam juntar-se ao plenário de dirigentes e activistas sindicais marcado para esse dia.

Em comunicado entretanto enviado às redacções, esta estrutura sindical acrescenta que “considerando o número de trabalhadores que têm manifestado a vontade de devolver os ridículos e ofensivos aumentos salariais com que foram “agraciados” pelo Governo, a Fesap sugere que esses trabalhadores se organizem de modo a que, também a partir do dia 19, se juntem e se desloquem a instituições de solidariedade, onde entregarão a soma desses aumentos”.